Novidades

21 de julho de 2016

Os Mistérios Do Edificio Joelma

um dos casos mais chocantes de todos os tempos, o incêndio do edifício Joelma, a morte de centenas de pessoas e um mistério jamais revelado, as sete almas

Sexta-Feira, dia 1º de fevereiro de 1974

Há quase trinta anos um incêndio parou São Paulo. Era sexta-feira, 1º de fevereiro de 1974, e aproximadamente 756 pessoas distribuíam-se pelos 25 andares do Edifício Joelma (hoje nomeado Edifício Praça da Bandeira), localizado no nº 225 da Avenida Nove de Julho, Praça da Bandeira, região Central de São Paulo - Brasil.

Por volta das 08:50 horas um funcionário ouviu um ruído de vidro rompendo, proveniente de um dos escritórios do 12º andar. Foi até lá para verificar e constatou que um aparelho de ar condicionado estava queimando. Foi correndo até o quadro de luz daquele piso para desligar a energia; mas ao voltar encontrou fogo seguindo pela fiação exposta ao longo da parede. As cortinas se incendiaram e o incêndio começou a se propagar pelas placas combustíveis do forro. Correu para apanhar o extintor portátil, mas ao chegar não conseguiu mais adentrar à sala, devido à intensa fumaça. Subiu as escadas até o 13º andar, alertou os ocupantes e ao tentar voltar ao 12º pavimento, encontrou densa fumaça e muito calor. A partir daí o incêndio, sem controle algum, tomou todo o prédio. Foram feitas várias corridas de elevadores até que a atmosfera permitisse, salvando muitas pessoas; porém uma ascensorista na tentativa de salvar mais vidas, após as condições ficarem muito ruins, morreu no 20º andar.



Fotos do Edifício Joelma em chamas no dia 1º de Fevereiro de 1974



Corpos de algumas das vítimas do incêndio do Edifício Joelma


Segundo perícias, a causa do incêndio foi um curto-circuito em um equipamento de ar-condicionado em um dos andares, provocando um super aquecimento na fiação elétrica, gerando o primeiro foco de fogo, o qual se espalhou por todo o edifício.

O saldo da tragédia foi de 179 mortos e 300 feridos.

Uma das tragédias desse incêndio que mais impressionou, foi o fato de treze pessoas tentaram escapar por um elevador, não conseguindo, e morrendo carbonizados em seu interior, sendo que devido ao estado dos cadáveres, os corpos não foram identificados, pois naquela época ainda não existia a análise de DNA, sendo então enterrados lado a lado no Cemitério São Pedro, localizado na Av. Francisco Falconi, 837, Vila Alpina em São Paulo.
Os corpos deram origem ao mistério das Treze Almas, e a elas são atribuídos milagres, ficando conhecidas como as 13 Almas não identificadas. Muitos acreditam que os espíritos das pessoas mortas no incêndio vagueiam pelo prédio até os dias de hoje.
O local atrai centenas de curiosos, principalmente às segundas-feiras, dia das almas. Ao lado da sepultura, existe hoje uma capela.
"Contam alguns visitantes que em certos momentos ouvem sons de pessoas chorando, e quando vão verificar de onde vem, descobrem que o som está sainda da tumba dos 13 corpos vítimas do incêndio, sendo que o som dos choros só para quando colocam água sobre a sepultura".
Esse é mais um dos mistérios que rondam o incidente do Edifício Joelma.
Passados muitos anos da tragédia, o antigo Edifício Joelma foi reformado, sendo batizado com o nome de Edifício Praça a Bandeira, disponibilizando para aluguel várias salas para escritórios e empresas. No entanto pessoas que frequentam o local relatam fatos estranhos e sombrios no interior do edifício, como os descritos a seguir:

"Em um escritório da advocacia alugado pouco tempo após a re-inauguração, uma assistente ficou até mais tarde para organizar os documentos deixados no final do expediente.
Como já era tarde da noite, e devido a existência de muitas salas ainda vazias e sem utilização, o prédio mantinha um silêncio sombrio e assustador.
Isso em conjunto com as lembranças do incêndio que ocorreu no passado, produzia um ambiente ainda mais assustador.
Em certo momento a assistente ouviu um barulho na ante-sala do escritório, como se a porta tivesse sido aberta.
Quando ela foi olhar, a porta estava fechada, como havia estado antes.
Então ela imaginou que fosse uma outra porta em outra sala do mesmo andar que havia gerado aquele ruído.
Instantes depois ela ouviu o baruho novamente, e quando se voltou, viu um vulto de uma mulher passando pela ante-sala.
Ela se assustou chegando a dar uma grito.
Foi observar novamente e não havia ninguém no local, apenas ela. Rapidametne ela pegou suas coisas, e saiu do escritório. Quando foi trancar a porta, novamente ela viu o vulto de uma mulher no fundo do corredor, desaparecendo em seguida.
A assistente rapidamente deixou o edifício e tempos depois se demitiu, pois havia a necessidade de ficar em alguns dias até mais tarde e ela não concordou com a solicitação, temendo ver aquele vulto novamente ou algo ainda pior ".

Este outro fato foi relatado por um motorista que fazia entregas no Edifício:
"Havia chegado com minha perua Kombi no sub-solo do Edifício "Praça da Bandeira", para entrega de algumas encomendas, isso aproximaamente às 20:00' horas.
Estacionei como de costume, sendo que meu ajudante retirou as encomendas da perua para entregá-las no local solicitado. Permaneci então ali dentro da perua sozinho, aguardando o retorno do ajudante para irmos embora.
Algum tempo depois, como que por espanto, vi surgir no fundo do estacionamento uma mulher vestida toda de branco, sendo que ela veio se deslocando em direção à minha perua.
Nesse momento notei que ela não estava caminhando, e sim flutuando a alguns centímetros do chão, indo em direção à outra parede do estacionamento, desaparecendo em seguida.
Saí então da perua e subi até o andar onde estava meu ajudante, e contei para ele o acontecido, saindo em seguida rapidamente do edifício.
Hoje evito de todas as maneiras fazer entregas à noite naquele local".

Segundo depoimentos de testemunhas, muitos outros fatos sobrenaturais ocorreram e ainda ocorrem no Edifício "Praça das Bandeiras" (antigo Joelma), assustando até as pessoas mais desavisadas.




VISTA AÉREA DO EDIFÍCIO "PRAÇA DAS BANDEIRAS" (ANTIGO JOELMA) EM SÃO PAULO - BRASIL
* Coordenadas ( 23°32'57.88"S, 46°38'26.18"O) *



A professora Volquimar Carvalho dos Santos, 21 anos, trabalhava no setor de processamento de dados de um banco que funcionava no 23º andar do Edifico Joelma. Ela era funcionária da empresa havia um ano e meio. O irmão dela, Álvaro, trabalhava no 10º andar do mesmo prédio. A família de Volquimar é espírita. Ao ser dado o aviso de incêndio, Volquimar e outras quatro companheiras tentaram fugir pela escada, mas quase foram atropeladas pelos funcionários desesperados que tentavam se salvar.
Elas correram para a cobertura do prédio, mas acabaram morrendo por asfixia. Álvaro, irmão de Volquimar, sobreviveu ao incêndio. Álvaro localizou o corpo da irmã no IML horas depois do incêndio ter terminado. Meses depois, Volquimar enviou uma mensagem psicografada para a mãe através do médium Chico Xavier. Na mensagem ela contava como tinha sido os seus últimos minutos de vida.

Em 1979, a história de Volquimar se transformou no filme “Joelma, 23º andar”. O roteiro é baseado nas cartas psicografadas por Chico Xavier que estão no livro “Somos Seis”.

Fatos estranhos ocorreram durante as filmagens, como ruidos estranhos no local onde não havia ninguém, refletores que eram "derrubados" embora estivessem bem fixados, sendo um dos fatos mais incríveis, foi a imagem de uma "pessoa" que não estava nas filmagens ao lado dos personagens em uma das cenas, indicando nitidamente ser um dos possíveis "Fantasmas do Edifício Joelma".


Nesta cena, pode-se notar nitidamente à direita, a imagem de uma mulher de forma "transparente".

Quando visualizada esta imagem pelas pessoas que participaram das filmagens, todos ficaram espantados, pois não havia ninguém além dos atores no local da fotografia.

"Seria um dos "Fantasmas do Edifício Joelma"?

Texto retirado do site : http://www.alemdaimaginacao.com/

20 de julho de 2016

A Casa de Totais



uma casa assombrada em uma cidadezinha no interior, coisas estranhas e sobrenaturais acontecem ali a todo momento, assustador, intrigante


Quando tinha 13 anos de idade, me lembro vagamente das coisas que aconteceram naquela época, porem me recordo completamente da casa na cidade de Totais. A cidade de Totais era uma cidadezinha muito aconchegante, sua população de apenas 3mil habitantes tornava o lugar muito tranqüilo e também meio assustador. Lembro que assim que mudamos para a casa encontramos muita velharia espalhada pelo sótão e pelo porão, entre estas coisas, fotos dos antigos moradores e um diário que parecia mais um livro. De noite  escutávamos barulhos vindo do sótão , a medida que os dias passavam estes barulhos aumentavam e tornaram algo perturbador, me recordo que meu pai colocou farinha na escada de madeira para tentar pegar algum tipo de pegada e instalou também algumas câmeras pela casa, para notar se poderiam ser animais. Na manha seguinte ele foi verificar as pegadas, o que encontrou foi os degraus limpos e a farinha tinha desaparecido , como se algo a tivesse varrido dali, resolvemos então checar as fitas VHS, 3 horas de vídeo se passaram e nada foi visto, até que surge meu irmão mais velho que entra no sótão e senta em um canto e fica ali por 30 minutos, no momento em que vimos ficamos assustados e não estávamos entendendo aquilo, meu irmão se quer era sonâmbulo. 


Na manha seguinte meu pai o questiona sobre o vídeo, ele nega e diz que não era ele ali, apesar da fita mostrar algo, neste momento ele começa a chorar e diz realmente não ser ele e então mostra em seu celular fotos dele na noite passada exatamente na hora em que a fita gravava, realmente ele não estava em casa naquela hora . O que seria aquilo? A noite chegou e meu pai armou tudo novamente, porem desta vez preferiu ficar acordado, pelo menos ate onde pudesse, no meio da noite começaram os barulhos no sótão, foi ate os quartos meu e de meu irmão , para ver se estávamos dormindo e realmente estávamos deitados, pegou sua arma e foi caminhando até o sótão, neste instante acordei assustado tive um pesadelo horrível, fui ate o banheiro e fui ate meu pai no sótão, ao subir lá não encontrei ninguém, na mesma hora em que estava procurando pelo meu pai ele subia as escadas , tentei chamar pelo seu nome, mas era tarde ele atirou pensando ser qualquer outra coisa e hoje estou morto... O que era a criatura no sótão? O que ela queria?

Relatos de meu irmão:


Hoje encontrei algumas fotos no sótão, as famílias que aqui moraram tiveram quase todos os mesmos fim de meu irmão, sabe se lá o que acontecia porem a mesma criatura que confundiu meu pai os confundiu e até hoje aquela presença esta presa naquela casa e coisas horríveis acontecem, até hoje. 

Se copiar colocar devidos créditos, obrigado !
Ass : Ghostface GM 

15 de julho de 2016

A Canção de ninar


Um misterioso caso que chocou toda uma cidade, uma entidade se apega a uma familia, causando dor e destruição



Recém casados Adam e Jenny tinham comprado uma casinha simples no interior para passarem suas vidas juntas.  Em um belo dia decidiram ter um bebe porem não sabiam as conseqüências que isso iria trazer, após alguns meses com o nascimento do filho tudo começou a ficar estranho naquele local, no meio da noite a criança acordava chorando muito e misteriosamente uma musica de ninar começava a tocar fazendo com que o bebe adormecesse , os pais intrigados sempre que iam ver de onde vinha tal musica ela parava e nada encontravam , a musica parava misteriosamente da mesma forma que começava  . Em uma noite Adam levanta para ir ao banheiro e escuta uma voz vinda do quarto do bebe juntamente com a musica, ao aproximar nota uma figura próxima ao berço, algo que parecia uma mulher vestida de noiva, pois se via o véu e a grinalda e seu vestido longo e largo, ele fica assustado nota o interruptor próximo e acenda a luz a figura que ali estava desaparece como uma miragem, ele fica perplexo e coloca a criança na cama com ele e sua esposa para que fique mais segura porem a criança não para de chorar fazendo com que ele a volte para o berço, ainda cismado fica ali próximo de vigia por toda noite. A situação começara a piorar com o decorrer do tempo, o bebe não chorava mais, porem sempre que seus pais aproximavam e a musica cessava a criança chorava horrores, aquilo estava assustando a família que não sabia o que fazer, Adam via vultos pela casa e sempre que se lembrava da figura que vira ficava horrorizado. Certa noite Adam resolve ficar acordado para saber de onde vinha tal musica, enquanto Jenny estava dormindo ele caminhou ate o quarto do bebe que estava em silencio e a misteriosa musica tocava e à medida que se aproximava a musica parecia mais nítida como se alguém a cantasse no quarto, a cada passo escutava melhor a cantiga de ninar da qual a letra era vazia e não fazia sentido não pareciam palavras e sim gruídos e sussurros, uma voz rouca e arranhada de arrepiar, quando abriu a porta não viu nada , não tinha nada ali muito menos o bebe que havia desaparecido misteriosamente juntamente da voz misteriosa, desesperado procurou em todos os cantos e avisou sua mulher mas nada encontraram, alertou a policia que foi ate a casa , ao conversar com um dos policiais Adam ficou espantado ao saber que era o terceiro bebe que sumia na mesma casa e que aquilo tudo era um mistério a ser resolvido , nada fazia sentido para o casal ate os anos atuais o bebe era dado como seqüestrado assim como os demais . Os anos passaram e a perca da criança já não doía tanto, as coisas ficaram mais tranqüilas quando se mudaram e uma fabrica comprou o local.  A nova fabrica iria ter de mudar a estrutura do local e no meio da reforma ao abrirem um buraco no meio do quintal da antiga casa encontraram uma ossada humana, os ossos foram mandados para pericia e descobriram então que se tratava das crianças desaparecidas e outra ossada maior era de uma mulher que não foi identificado ate hoje. Muitos casos e lendas foram criados a partir de então, uma e que a ossada feminina pertencia a uma mulher que perdeu seus filhos durante o parto e após um tempo desgostosa da vida cometeu suicídio após matar seu marido e para cessar tal dor o seu espírito apossava das crianças que ali viviam, porem tudo não passa de historia, alem do mais a ossada do seu possível marido nunca fora encontrada.

Os filmes não criam psicopatas. Eles só os tornam mais criativos."

Stephen King ( O Mestre do Horror )


Se copiar colocar devidos créditos , Obrigado !


Ass : Glaucow M Freitas 

12 de julho de 2016

3:00 AM 15:00 PM (A Hora do Demônio)



a verdade por trás da tão falada hora morta, ou hora do diabo, demônio, o mistério por trás de 3am



Sempre tive curiosidade sobre essas duas horas e nunca tive nada concreto sobre e a maioria das coisas que acho são lendas ou contos, algumas coisas sensacionalistas e sem sentido , hoje resolvi fazer uma busca mais profunda sobre o assunto e obtive algumas coisas interessantes , porem ainda tenho lá minhas duvidas sobre muita coisa, espero que possam se informar e que estas sejam úteis , obrigado .

Qual o significado das 3:00hs da manhã e 3:00hs da tarde?
 Porque 3 horas da manhã é considerada a hora do diabo?

Por que Jesus morreu na cruz às 3:00 da tarde, isso significa a libertação dos anjos do bem. Às 3:00 da madruga seria a libertação dos demônios,  como forma de deboche, escárnio com o filho de Deus.
É uma hora de grande guerra espiritual. E quando acordamos, as vezes é o Espírito Santo nos acordando para orar ou para uma pessoa, nação, cidade, as vezes Ele quer falar conosco, então é hora de ouvi-lo.

A Hora da Misericórdia



Em 1933, Deus ofereceu a Irmã Faustina uma impressionante visão de Sua Misericórdia. A Irmã nos conta:
"Vi uma grande luz, e nela Deus Pai. Entre esta luz e a Terra vi Jesus pregado na Cruz de tal maneira que Deus, querendo olhar para a Terra, tinha que olhar através das chagas de Jesus. E compreendi que somente por causa de Jesus Deus está abençoando a Terra."
Jesus disse à Santa Irmã Faustina:
"Às três horas da tarde implora à Minha Misericórdia, especialmente pelos pecadores, e, ao menos por um breve tempo, reflete sobre a Minha Paixão, especialmente sobre o abandono em que Me encontrei no momento da agonia. Esta é a hora de grande Misericórdia para o mundo inteiro...
Nessa hora nada negarei à alma que Me pedir em nome da Minha Paixão."(Diário no. 1320) 

 3:00 da Manhã: A Hora do Demônio





Os demônios tem uma hora em que eles estão mais fortes na terra, uma hora onde a cortina do nosso mundo e do mundo deles é erguida, e esta hora é três da madrugada...

Você já deve ter visto em muitos filmes focar o relógio e mostra que é 3 da madrugada ou um pouco depois, e então levar um 
grande susto, pois algo maléfico acontece ao personagem. Existe uma verdade nisto, pois para muitos estudiosos do sobrenatural, 3 da madrugada é a hora que os demônios estão na terra e é nesta hora que as pessoas estão mais suscetíveis a sofrerem seus tormentos.

Mas por que 3 da madrugada? Muitos acreditam que é porque as 3 da tarde foi o horário da morte de Cristo, e esta hora tornou-se a hora simbólica de Jesus. Três da madrugada seria a hora oposta, ou seja, a hora maligna.

Assim, acordar as 3 da manhã para muitos já é um sinal de algo ruim, agora se você escutar algo como 3 batidas, 3 vezes seu nome sussurrando em seu ouvido, ou qualquer coisa múltipla de 3 meu amigo, reza bastante! Tudo que vem em 3 é para zombar o cristianismo, que é baseado na Santíssima Trinidade: Pai, Filho e o 
Espírito Santo.

Além disso é 
geralmente por volta das 3 da manhã que as pessoas estão mais sensíveis a atividade de espíritos, dando assim uma vantagem maior para os demônios. O véu que separa o mundo dos espíritos do nosso é erguido.

Uma opinião diferente

Nos 
Estados Unidos eles não usam o relógio de 24 horas, mas sim o de 12, e escrevem na frente da hora o AM e o PM, que significam, respectivamente, "Ante Meridium" e "Post Meridium", isto é, antes e depois do meio-dia (em inglês, "before midday" ou “after midday"). ex: 2:00 AM = 2:00 h (duas da madrugada) 2:00 PM = 14:00 h (duas da tarde)


 "Compreendo que nos EUA não se usa o termo 15:00h e sim 03:00 pm, porém você acha correto dar o “primeiro” 3° horário do dia para o diabo, e dar para aTrindade o último 3° horário?? Claro que não! Para Deus devemos dar a “Primeira Terceira hora do dia” ora. Portanto 3:00 da manhã é o horário da TRINDADE."Para o mago Mr. Tlaloc é um erro afirmar que 03:00 P.M (três da tarde) é o horário da trindade, afinal 03:00 pm equivale às “15:00h” e 15 é o número místico de SATANÁS e “15 noTAROT é o Diabo”. Portando o horário da TRINDADE é 03:00 h da manhã e 15:00 h é o horário do Diabo.Exatamente o contrário da crença da maioria dospesquisadores.


Os Zombadores

Quando Jesus foi levado por mãos ilegais, crucificado e morto (Atos 2:23), estava sendo vítima de crueldades quase inimagináveis. Nas horas que conduziram à cruz, ele foi ridicularizado, cuspido, esbofeteado e açoitado. Além disso, viu as pessoas entre as quais ele havia tão amorosamente trabalhadoe ministrado preferirem que um assassino fosse solto em seu lugar. Após horas de maltratos, ele foi pregado numa cruz e erguido como um espetáculo público, mas, como é muito comum hoje em dia, o apetite cruel daquelas pessoas ainda não foi satisfeito. O tormento continuou: "Os que iam passando blasfemavam dele, meneando a cabeça e dizendo: Ó tu que destróis o santuário e em três dias o reedificas! Salva-te a ti mesmo, se és Filho de Deus, e desce da cruz! De igual modo, os principais sacerdotes, com os escribas e anciãos, escarnecendo, diziam: Salvou os outros, a si mesmo não pode salvar-se. É rei de Israel! Desça da cruz, e creremos nele. Confiou em Deus; pois venha livrá-lo agora, se de fato lhe quer bem; porque disse: Sou Filho de Deus. E os mesmos impropérios lhe diziam também os ladrões que haviam sido crucificados com ele" (Mateus 27:39-44).
Por que zombaram de Jesus enquanto ele estava pendurado numa cruz? Por que não? Os zombadores viam um perdedor desnudo, um homem completamente despido de sua dignidade. Como não sentiriam desprezo por um pobre coitado que falava de ser rei, mas ficou sem defesa contra seus inimigos? Na mente deles, a cruz segurava um fracassado: um homem que viveu na pobreza e morreu sem que ninguém fosse defendê-lo. Embora as palavras deles fossem mais cruéis, elas foram produzidas pela mesma mentalidade, reinante em nossos dias, que levou Ted Turner S milionário, ganhador da Copa Americana de Iatismo, dono de clubes esportivos, diretor do tremendo império dos meios de comunicação, marido de uma estrela de cinema, segundo a revista Time, o homem do ano etc. S a proclamar que os cristãos eram "perdedores". Embora Turner tenha pedido desculpa posteriormente, ficou evidente que ele cria que qualquer pessoa que colocasse a fé e a esperança em Jesus e não nela mesma estava fadada a ser um perdedor.


FONTE :
                   http://www.assombrado.com.br/
                  http://devocoes.leiame.net/divinamisericordia/hora.htm

                        http://www.estudosdabiblia.net/a10_4.htm

11 de julho de 2016

Os Quadros das Crianças


Um caso assustador, dois quadros assombrados por entidades e espiritos malignos


Anne chegou à cidade de Milwaukee – Wisconsin no ano de 2010, o seu objetivo era simples recomeçar do zero. Após o termino do casamento que durou 10 anos queria recomeçar e reencontrar seu caminho em uma cidade longe da Geórgia onde viveu maus bocados com seu ex marido. A casa para onde havia se mudado era pequena, porém confortável suficiente para ela morar bem, cansada pela mudança Anne foi arrumando as coisas devagar e assim ia se adaptando a casa, os seus vizinhos foram super receptíveis e a receberam muito bem na vizinhança. A primeira noite foi tranqüila e graças a Mary sua nova vizinha que a trousse comida, tinha hambúrgueres frescos para o jantar, e Anne se poupou de comer congelados. Na madrugada escutou alguns barulhos no sótão, chiados e coisas batendo, imaginou então problemas com ratos ou ate mesmo outros animais. Assim que acordou na manhã seguinte estava decidido, iria arrumar tudo, subiu ao sótão para armar armadilhas para os malditos ratos, o cheiro de mofo fez com que sua alergia atacasse e em uma crise de espirros tropeçou em dois quadros pintados em cada qual uma criança, em um havia um garotinho e no outro uma garotinha, apaixonada pelos quadros resolveu os pendurar na sala como decoração. A noite chegou e Anne preparou seu jantar, estava comendo e assistindo TV quando escutou passos vindos da sala, alerta foi checar o que se tratava e nada encontrou, assim que virou as costas teve a sensação que algo havia passado próximo de si, aquilo arrepiou os pelos de seu corpo e a fez sentir uma pontada de desespero seguiu ate a cozinha onde continuou a comer. Após o jantar, exausta pela arrumação foi descansar, deitou em sua cama e adormeceu , acordou na madrugada porem não eram barulhos no sótão e sim um choro um tanto quanto estranho que parecia vir de sua sala, deixou de lado pensando ser coisas de sua imaginação, porem após algum tempo escutou novamente o choro que parecia mais próximo e nítido, aquilo fez Anne levantar de sua cama, porem o choro parou, pensou então que poderia ser o filho de Mary e deixou de lado. Ao acordar após se ajeitar foi ate a cozinha preparou seu café e sentou em frente à TV para comer, algo chamou sua atenção nos quadros, ela percebeu que as crianças neles pintadas estavam com feições diferentes de dois dias atrás, estas pareciam tristes e quase se podia notar algumas lagrimas escorrendo de seus rostos, tentou ignorar aquilo apesar de um tanto quanto esquisito , pensou consigo mesma “não vou deixar minha mente me pregar peça, isso e apenas fruto de minha imaginação”. Saiu de sua casa para seu primeiro dia de emprego em uma loja de telemarketing, o dia foi tranqüilo e sem novidades, mas não conseguia tirar os quadros e o misterioso choro na madrugada, pensou consigo que seria tudo muito estranho e muita coincidência. No final do expediente passou no mercado para fazer umas comprinhas, o relógio marcava 10H quando chegou a sua casa, antes de entrar notou que a luz da sala estava acessa , mas como podia pensou consigo ,sendo que havia apagado todas antes de sair, entrou pé por pé em casa e vasculhou tudo e ate pensou em chamar a policia, porem tudo estava em ordem, olhou para os quadros que naquele instante já a incomodava, os pegou e virou para frente à parede tirando os rostos agora tristes das crianças pintadas de suas vistas iria se livrar deles no dia seguinte. No banheiro se despiu e começou a tomar banho, escutou novamente o misterioso choro, só que este era diferente, era agonizante e pareciam vir de dois locais diferentes, saiu do banheiro ainda enrolada na toalha só que nada encontrou, se vestiu e foi dormir. Acordou de madrugada com barulhos vindo da sala, neste instante Anne estava assustada e sentia algo muito ruim no ambiente onde estava, levantou com medo, cansada e irritada foi ate a sala e viu vultos no corredor que seguiu ao seu quarto a deixando paralisada, uma risada infantil ecoou de seu quarto, Anne desesperada fez contato com a policia dizendo que algo não estava certo em sua casa, alguém alem dela estava presente, a policia chegou minutos depois e nada encontrou após vasculhar a residência, Anne recebeu o telefone de um dos policiais que disse para se manter calma, que poderia ser o cansaço gerado pela mudança, se despediu e foi ate seu quarto tentar dormir após alguns calmantes. O relógio despertou, eram 8H da manha e Anne tinha de ir trabalhar, assim que chegou a sala não acreditou no que via, a sala estava totalmente revirada como se um furacão tivesse passado por ali, mas o que a deixou horrorizada foram os quadros, estes estavam virados para frente e as imagens das crianças que antes ali estavam não se encontravam, a única coisa que se podia ver eram em cada qual uma silhueta e uma sombra, o que aconteceu naquela casa ate hoje e um mistério, a origem dos quadros ninguém sabe, Anne hoje mora em outra casa no mesmo estado e ate hoje não se recuperou do fato ocorrido.


Ass : Glaucow M Freitas
Se copiar colocar devidos créditos , obrigado !

6 de julho de 2016

Brincando com o Mau

Existem várias formas de se divertir, uma delas e com brincadeiras, porem muitas destas podem prejudicar ou ate mesmo afetar pessoas ao redor ou uma única pessoa e causar dor física e (ou) psicológica

Existem várias formas de se divertir, uma delas e com brincadeiras, porem muitas destas podem prejudicar ou ate mesmo afetar pessoas ao redor ou uma única pessoa e causar dor física e (ou) psicológica , quando isso acontece muitos podem ate se divertir porem , alguém esta sendo afetado e pode não estar nada bem, em muito dos casos essa pessoa se isola e vai tomando ódio de pessoas ao redor, tomando traumas e criando uma depressão profunda e amarga, tão amarga quanto a morte. 

Era mais um inicio das aulas e todos alunos da escola Student Universal Class estavam bem animados . Os alunos da 8º série receberam alguns novos alunos entre eles Kenny um garoto que sofria de síndrome do pânico entre outros traumas e por isso tinha muitas dificuldades de se relacionar com pessoas “normais” porem era um ano novo e ele estava disposto a se tratar e recomeçar sua vida , mas alguns alunos de sua sala eram pessoas más , estas estavam dispostas a chatear qualquer um que não era considerado “normal” de acordo com a “sociedade” esdrúxula e Kenny se enquadrava no meio anormal de tudo isso , diariamente sofria com criticas pesadas e ofensas , hora e outra tomava uma e outra coça após o horário de aula . A situação pioravam a cada dia , professores marcavam sempre reuniões com pais dos envolvidos , diretor e coordenadores tentavam de tudo para que a situação arrumassem , porem nada dava certo . Os pais de Kenny resolveram tirar ele da escola e colocaram para estudar em casa por um período , o garoto estava arrasado e sua depressão aumentava a ponto de ter de fazer altas consultas e sessões com psicólogos , Kenny estava a ponto de estourar  . Em uma noite ao deitar Kenny começa a ter idéias mirabolantes e psicopatas , ele estava perdendo o controle , não agüentava mais tudo aquilo , escutava vozes que diziam “FAÇA!FAÇA!FAÇA!” de minutos e minutos suas idéias eram embaralhadas como se estivesse sofrendo de algum outro distúrbio qualquer , não sabia do que se tratava , não se conhecia mais , até que adormeceu . O sonho de Kenny foi mais ou menos assim : Ele andava por sua antiga escola , e por todo chão corpos de pessoas que ali freqüentavam ,  muitos corpos e sangue espalhados por todo lado , ele caminhava por entre eles e segurava algo , em uma de suas mãos uma espada de origem árabe , na outra um livro que não podia identificar , caminhou ate o banheiro e ao olhar no espelho com o susto que levou acordou abruptamente . 





O pobre rapaz estava suado e assustado , levantou e não acreditou o que encontrou no pé da sua cama , ali tinha uma espada a mesma de seus sonhos e próximo a ela um livro , um livro de capa avermelhada com tons escuros , ficou intrigado , porem logo as vozes ressurgiram “ FAÇA! FAÇA ! FAÇA! “ ele sabia do que se tratava , algo lhe dizia que era pra fazer e ele sabia bem do que se tratava as vozes e tudo aquilo , pegou o livro e começou a folheá-lo com muita velocidade , devorava cada pagina de maneira assustadora e parecia absorver bem todo conteúdo , alguns segundos se passaram e o livro estava no chão coberto de sangue  , e em sua mão a espada que colocou em sua mochila junto com o livro e mais alguns pertences  , caminhou ate a porta e localizou logo seus pais na cozinha , passou por todos sem ser percebido  , caminhou por toda a rua calmamente, passou por muita gente ate chegar a sua escola , porem o rastro de sangue não fora notado por ninguém , já que poucos estavam na rua no horário e ninguém iria notar mesmo principalmente Kenny ... Chegou ate o portão da escola e entrou com facilidade por não existir seguranças , enfim não eram mais seguranças da escola, foi ate sua antiga sala, ao adentrarem as portas se fecharam , os gritos foram abafados por minutos e tiros foram disparados  simultaneamente , Kenny caminhou ate o banheiro enquanto os possuídos faziam o trabalho sujo ,ao chegar olhou no espelho e viu uma face desconhecida , algo escuro , sombrio e perturbador , não sabia o que era , porem era seu novo eu, “esse não sou eu” dizia o garoto ,no mesmo momento disse “FAÇA!” caminhou ate a sala e liberou os guardas , os corpos das pessoas envolvidas estavam no corredor amontoados como no sonho , foi ate a sala da diretora , abriu a mochila e colocou algo que era familiar a cabeça , sim sua cabeça estava ali decepada e agora em cima da mesa da diretora , como se estivesse armando uma cena de crime , saiu da escola e caminhou sem direção para o meio da mata com o livro e a espada , tudo parecia parado , enquanto se movia  “ E o sol se deteve, e a lua parou, até que o povo se vingou de seus inimigos “ . Os pais do garoto estavam perplexo com tamanha brutalidade o garoto havia morrido e muitos alunos que eram de sua sala , a policia culpava guardas e diretores pela chacina , todos estavam ali , menos o corpo de Kenny , que nunca foi encontrado .

Estarei presente em toda primavera, verão, outono e inverno, fui moldado para ser eterno.”




Se copiar colocar devidos créditos , Obrigado !
Ass : Glaucow M Freitas
http://horrorurbano.blogspot.com.br/

4 de julho de 2016

O Poltergeist de Enfield - A Verdadeira Historia por trás de Invocação do Mal 2


Quando Tudo Começou?



Verão de 1977 no município de EnfieldGrande Londres, Reino Unido. Peggy Hodgson põe dois de seus quatro filhos para dormir. Esta quente e tudo parece presagiar outra longa e tranquila noite de sono. Mas algo aconteceu naquela noite, algo que foi o começo de uma longa e terrível temporada de acontecimentos tidos como paranormais que, ainda hoje, seguem sem explicação. 


Casa onde tudo aconteceu
A senhora Hodgson era uma divorciada de 40 anos que vivia com seus filhos em uma bonita casa anexa em um popular bairro operário de Enfield. Seus quatro filhos se chamavam: Margareth, de 13 anos; Janet, de 11; Jhonny, de 10, e Billy; de 7 anos. Naquela madrugada de 30 de agosto de 1977, os gritos de seus filhos Jhonny e Janet acordaram Peggy e esta alarmada, subiu até o quarto. Tudo estava calmo, mas seus filhos, entre soluços, contaram a sua mamãe que a cama de Janet havia começado a se mover por si só e Peggy, achando que se tratava apenas de um pesadelo, acalmou os garotos e ficou com eles até que voltassem a dormir.

Na noite seguinte, as crianças voltaram a gritar e nessa ocasião, relatam a sua mãe como depois de fortes ruídos, uma cadeira que estava em um canto do quarto começou a se mover sozinha. Peggy segue sem ver nada estranho na habitação e para tranquilizar às crianças, trata de levar a cadeira ao seu quarto, mas quando apaga a luz e está prestes a sair do dormitório das crianças, ela mesma escuta fortes ruídos procedentes do piso.

o potergeist de enfield, o verdadeiro caso por trás de invocação do mal 2
Peggy Hodson e tres de seus filhos sentados no sofa. As duas meninas foram os epicentro dos acontecimentos, com destaque para Janet de apenas 11 anos


Janet de 11 anos (ao centro) e Margareth de 13 eram o centro das manifestações.

Ela acende novamente a luz e observa que tudo está em ordem; as crianças estão na cama e todos os móveis em seus lugares. Volta a apagar a luz e os ruídos seguidos de fortes pancadas começam de novo a soar...Ao acender de novo a luz, contempla assombrada como uma enorme cômoda que estava encostado contra uma parede lateral, se moveu dois palmos...Peggy, começa a suspeitar que o ocorrido não é uma coisa da imaginação das crianças. Ela volta a pôr a cômoda em seu lugar e apenas ao dar às costas, o móvel volta a se arrastar por si só até a posição anterior. Desta vez com a luz acesa e ante seus olhos.

Buscando Ajuda com os Vizinhos


O medo se apodera imediatamente da senhora Hodgson que sem pensar duas vezes, tira os filhos da habitação e sai em busca de auxílio nas proximidades. Um grupo de vizinhos revistam a casa e o jardim em busca de algum possível intruso que estivesse causando os ruídos que Peggy lhes relatou completamente horrorizada, mas não encontram ninguém. Em vez disso, quando estão tranquilizando Peggy, todos escutam as pancadas que ocorrem em curtos intervalos e que provêm do interior da casa. Ato seguido, chamam à polícia que, em uma ata de serviço surpreendente, um policial deu testemunho em declaração escrita, de como uma cadeira se movia inexplicavelmente pela casa e como escutavam batidas de procedência desconhecida.

Durante os seguintes dias, os acontecimentos continuaram. Móveis que se mexiam sozinhos, brinquedos que voltavam pela habitação das crianças ...


Moveis destruídos após o incidente

A Imprensa Descobre o Caso e Ajuda

Os acontecimentos chegam à imprensa e o diário Daily Mirror envia uma equipe de experimentados repórteres para investigar o caso. Ali, a equipe do jornal pôde contemplar os acontecimentos inexplicáveis. Uma peça de lego saiu disparada e atingiu a testa do fotógrafo do Daily Mirror, Graham Morris quando este tentava tomar uma foto. A BBC foi até à casa, mas a equipe constatou que os componentes de metal de seus equipamentos de gravação, haviam sido entortados e as gravações apagadas. O repórter George Fallows, vendo que a coisa não era uma brincadeira, pôs a Peggy em contato com Maurice Grosse, membro da Society for Psychical Research.
                   Maurice Grosse foi o principal investigador da hnistória

Depois de uma semana sofrendo todo tipo de efeitos poltergeist inexplicáveis, em 5 de setembro chega à casa Grosse e os acontecimentos pausam durante os seguintes três dias até que, ao cair da noite do dia 8, retomam os som de pancadas procedentes da habitação de Janet. O pesquisador junto aos jornalistas subiram as escadas e ao abrir a porta do quarto, encontraram a Janet dormindo em sua cama e ao seu lado, uma cadeira levitando no ar a mais de meio metro de altura.

Imediatamente a cadeira baixou até seu lugar e não voltou a se mover até uma hora mais tarde, quando voltou a repetir o mesmo efeito. Desta vez o fotógrafo Morris capturou o acontecimento com sua câmera. Nesse mesmo momento, Grosse e seus acompanhantes puderam ver como as portas dos armários se abriram por si mesmas e como um brinquedo cruzou o quarto de um lado a outro suspenso no ar. Grosse também notou uma brisa fria percorrendo todo o seu corpo.

Dois dias mais tarde, o caso Enfield era capa do jornal Daily e todos os meios fizeram eco da notícia. Inclusive naquele mesmo dia, Grosse e a senhora Hodgson participaram em um programa de televisão.

Capa do Daily Mirror de 10 de setembro de 1977 cobrindo o caso Enfield


Grosse chegou a se comunicar em várias sessões com as supostas entidades inteligentes que estavam atormentando à família. As perguntas de Grosse eram respondidas com toques onde  uma pancada queria dizer "sim" e duas para dizer "não". Grosse perguntou à entidade que afirmava ter morrido na casa, por quantos anos teria morado ali, ao que soaram 53 batidas.

O parapsicólogo Guy Lyon Playfair se uniu à investigação de Maurice Grosse e os dois passaram os dois anos seguintes estudando o caso.

Janet Hodgson disse que ela e sua irmã Margaret estavam jogado com um tabuleiro Ouija pouco antes do início da atividade sobrenatural.

Alguns dos Acontecimento na Casa

Mesmo com vários investigadores, polícia e vizinhos diretamente envolvidos, os acontecimentos continuaram e inclusive chegaram a se converter em algo bastante perigoso para a família.

- Os objetos que se moviam ou desapareciam mudando de lugar
- interferências elétricas avariavam os sistemas de gravação dos repórteres
- poças d'água que apareciam sem motivo algum
- móveis que eram lançados escadas abaixo ou gavetas que saíam disparadas de seus lugares. Qualquer objeto da casa era suscetível de sair voando a qualquer momento, com o perigo de chocar contra alguém na sua rota...
- De vez em quando, focos de incêndio surgiam do nada e do mesmo modo, se extinguiam sem deixar marca alguma de queimaduras.


Cadeira arremessada


Sequência de fotografias tomadas com uma câmera no quarto de Janet, onde se vê como o travesseiro "pula" da cama e faz com que a pequena desperte assustada.

Janet: O Principal Foco

Jannet em transe 
Janet era o principal alvo das manifestações. Quando entrava nesses transes, era preciso que segurassem forte a Janet porque ela adquiria uma força descomunal para uma criança de apenas 11 anos. Às vezes saía correndo e chocava a cabeça contra a parede enquanto praguejava e amaldiçoava com sua verborreia sórdida. Uma vez inclusive derrubou de um só golpe a um assistente social que era ex -policial e muito corpulento, ao tentar tranquilizá-la junto a sua cama.

                       Grosse contendo a Jannet durante um de seus transes


                                 Maurice segurando Janet em um transe

Alguns dos eventos mais marcantes ocorridos com ela:

- Estrangulamento pela Cortina: Em uma ocasião, Janet afirmou que a cortina próxima a sua cama se retorceu várias vezes em espiral para depois se enrolar em seu pescoço tentando estrangulá-la. Segundo contou Janet, tudo isso depois de sentir uma força invisível puxá-la da cama e jogá-la contra às cortinas e ante a presença de sua mãe.



- Dormindo no Móvel: Certa noite em que se encontrava em mau estado, um médico lhe administrou 10 miligramas de Valium (Diazepam), que em condições normais é algo excessivo para qualquer criança. Ao lhe injetar o tranquilizante, puderam ver como saía dela uma luz suave. Deitaram-na em sua cama e todos ficaram no salão do andar térreo. Quarenta minutos depois, escutaram o som de uma forte explosão que procedia da habitação da criança. Quando abriram à porta, viram que Janet não estava na cama, ela havia sido lançada sobre uma cômoda que se encontrava a três metros de distância e permanecia sobre ela, completamente desacordada. O mesmo voltou a se repetir 3 vezes mais naquela noite.


- A Levitação: Quando a imprensa descobriu o caso, o Daily Mirror enviou o repórter Graham Morris para o local para testemunhar os acontecimento. E ele fez uma das fotos mais famosas: a levitação de Janet. Graham estava no quarto das meninas junto a mãe das mesmas quando Janet foi atirada de sua cama pela "entidade". Nesse momento ele fez a imagem e foi essa imagem e seus relatos que convenceram a Sociedade de Pesquisas Psíquicas a enviar Maurice Grosse para investigar o caso. 



As Mudanças de Voz de Janet

                               
                                         

Outro dos fenômenos que costumava ocorrer era a mudança na voz da pequena Janet, que contava com 11 anos na época dos acontecimentos. De sua garganta saíam às vezes, uma voz áspera e masculina que dizia pertencer a várias entidades e que costumava falar em linguagem Inapropriada e obscena. Quando isso acontecia, a pequena Janet entrava em uma espécie de transe. Uma das vozes afirmava pertencer a um homem que havia morrido naquela casa.

Assombrosamente, a voz voz rouca masculina entregou uma mensagem de além-túmulo, descrevendo em detalhes o momento de sua morte. "Apenas antes de eu morrer, eu fiquei cego, e então eu tive uma hemorragia e eu adormeci e eu morri na cadeira no canto sob às escadas", disse a tal voz.
A voz misteriosa - que ainda pode ser ouvida em áudio hoje em dia - é supostamente a de Bill Wilkins, vários anos após a sua morte.

Psiquiatras e doutores locais estudaram Janet, que parecia ser o epicentro dos fenômenos e inclusive, chegaram a realizar estudos laringográficos para descartar que as vozes que saíam de sua garganta não tinham sido fabricadas conscientemente por ela mesma.

Como tudo Terminou?


Janet passou seis semanas no Maudsley Hospital no Sul de Londres onde realizou provas precisas para detectar qualquer anomalia tanto física como mental, mas não foi encontrado nada. Durante esse tempo a atividade poltergeist da casa cessou completamente.

Janet Hodgson acredita que foi a visita de um padre 1978 a casa acalmou as coisas, embora as ocorrências não tenham terminado completamente.

Em 1980, Guy Lyon Playfair publicou o livro This House is Haunted: The True Story of the Enfield Poltergeist, contando toda a história.

A senhora Peggy continuou morando na casa até a sua morte e disse que ainda ouvia barulhos na casa de vez em quando. Seu filho Billy, que viveu com sua mãe até seu falecimento, sempre sentia como se estivesse sendo vigiado.

Atualmente, Clare Bennett vive na mesma casa com seus 4 filhos e diz ter a sensação de sempre estar sendo observada...

Agora com 45 anos, Janet vive em Essex com o marido, um leiteiro aposentado.



Livro escrito por Guy Lyon Playfair conta toda a história em Enfield

O que Dizem os Céticos


Dois especialistas da Sociedade de Pesquisas Psíquicas (SPR) pegaram as crianças dobrando colheres. Eles também acharam estranho porque ninguém era permitido no quarto quando Janet estava falando em sua voz de possuído, que era supostamente a de Bill Wilkins (entre outros).

O mágico americano Milbourne Christopher investigou o caso, não conseguindo observar qualquer evento que poderia ser chamado de paranormal e ficou perplexo ao sentir que eram atividades suspeitas por parte de Janet. Christopher mais tarde concluiria que "o poltergeist era nada mais do que as travessuras de uma menina que queria causar problemas, e que era muito, muito, inteligente."

O cético 
Joe Nickell criticou os investigadores paranormais por serem excessivamente crédulos: Ao ouvir uma voz demoníaca supostamente desencarnada, Guy Lyon Playfair observou que, "como sempre os lábios de Janet dificilmente pareciam estar se movendo." Nickell por conseguinte, escreveu que uma avaria no gravador de Grosse fora atribuída à atividade sobrenatural e também o psicólogo e presidente da sociedade para pesquisa psíquica, David Fontana, descreveu como uma ocorrência "que aparentemente desafia às leis da mecânica" era meramente uma peculiar interferência comum nos gravadores mais antigos de modelo tape deck de rolo.

Nickell notou que o suposto poltergeist "tendia a agir apenas quando não estava sendo vigiado" e concluiu que os incidentes seriam melhor explicados como brincadeiras infantis. De acordo com Nickell:

"Certa vez e novamente, em mais um surto 'poltergeist', testemunhas relataram um objeto saltando do lugar de onde repousava, supostamente por conta própria, quando é provável que o perpetrador teria obtido secretamente o objeto em algum momento mais cedo e esperado por uma oportunidade para arremessá-lo, mesmo quando do lado de fora do quarto, assim, supostamente provando que ele ou ela era inocente."



Nickell afirma que uma câmera fotográfica de controle remoto (o fotógrafo não estava presente na sala com as meninas) programada para tomar uma foto a cada 15 segundos, que supostamente "registrou atividade poltergeist em movimento pela primeira vez", foi apresentada pelo investigador Melvin Harris apenas para revelar as travessuras da menina.

Uma foto supostamente representando Janet levitando, na verdade, mostra ela saltando em cima da cama, como se fosse um trampolim. Harris chamou as fotos de exemplos comuns de "ginástica", e disse:"É bom lembrar que Janet era uma campeã de esportes na escola!" Nickell também escreveu que o demonologista 
Ed Warren (O mesmo da boneca Anabelle) era "notório por exagerar e até mesmo distorcer tais casos, frequentemente transformando um fenômeno 'assombrado' em um incidente de possessão 'demoníaca'."

          Janet em uma rara entrevista no ano de 2012 ao canal ITV1

A Confissão das Irmãs



Segundo a 
Wikipédia, em uma entrevista ao Daily Mail, a adulta Janet admitiu que ela e sua irmã haviam falsificado "2 por cento" dos fenômenos, o que levou Nickell a comentar que "as evidências sugerem que esse número já chega aos 100 por cento." 

Em 1980, ela disse a ITV News: "Ah, sim, uma ou duas vezes (que falsificaram os fenômenos), só para ver se o Sr. Grosse e o Sr. Playfair iriam nos pegar. Eles sempre pegaram."

Durante uma entrevista de Margaret e Janet Hodgson que foi ao ar como parte de um especial de TV em 1980, Janet é perguntada como se sente ao ser assombrada por um poltergeist. "Não é assombrado" Janet responde sorrindo. Sua irmã sorri com espanto, como se Janet apenas deu-se um segredo, e sussurra: "Cale a boca!" através de risos abafados. Janet disse mais tarde que ela não se sentia que o poltergeist estava mal, o que significa que a casa não era necessariamente "mal-assombrada."


Explicação Alternativa: Fenômeno Poltergeist


Garotas passam por mudanças hormonais extremas durante a adolescência e por isso gastam muita energia emocional. Toda essa turbulência física e emocional parece facilitar um outro fenômeno psíquico: a telecinese (capacidade de controlar diretamente o ambiente com o pensamento), que pode ser uma capacidade humana reprimida. Sendo assim, essas adolescentes estariam lançando, inconscientemente, rajadas de energia telecinética no ambiente, liberando suas frustrações, medos e anseios contidos. Elas mesmas podem nem perceber que estão causando isso tudo, e passado o período dessas mudanças hormonais, tudo voltaria ao normal. Outra possibilidade seria que uma certa entidade "usasse" dessa energia em excesso da garota para gerar tais fenômenos, e quando essa energia acabava (passava o pico hormonal), a entidade ficaria igualmente sem força e a atividade cessaria.


O Filme Invocação do Mal 2


Com um caso desses é claro que a industria cinematográfica não ia deixar passar em branco. Na Inglaterra, local do acontecido, muitos programas de TV e séries foram exibidos ao longo dos anos seguintes e até recentemente. Em 2015 a série 
The Enfield Haunting com 3 episódios foi exibida naquele pais.

Resumindo, o caso era bem conhecido na Inglaterra e por alguns investigados ao redor do mundo. Só que tudo isso mudaria quando fio anunciado que o filme Invocação do Mal 2 seria baseado no caso do fantasma de Enfield.

Sinopse: Sete anos após os eventos de Invocação do Mal (2013), Lorraine (Vera Farmiga) e Ed Warren (Patrick Wilson) desembarcam na Inglaterra para ajudar uma família atormentada por uma manifestação poltergeist na filha. A trama é baseada no caso Enfield Poltergeist, registrado no final da década de 1970. Além disso é divulgado que a história vem dos "verdadeiros arquivos de casos de Ed e Lorraine Warren".

Só que a verdadeira Janet não gostou nada quando soube do filme. Ela disse em entrevista que seu pai havia acabado de morrer e o filme iria trazer a tona todo o caso novamente...



Guy Lyon Playfair se juntou a Maurice tempos depois. Ele disse em entrevista a uma rádio que os Warren foram ao local sem serem convidados e que Ed disse que eles poderiam ganhar um bom dinheiro...

Tem Algo Errado Nessa História


Há apenas um problema: Guy Lyon Playfair, membro da Sociedade de Pesquisas Psíquicas e um dos principais investigadores do caso Enfield Poltergeist, diz que os controversos pesquisadores paranormais Ed e Lorraine Warren não estavam envolvidos no caso! Ele diz que eles chegaram "sem serem convidados", hospedaram-se por apenas um dia, e alega que eles fabricaram suas próprias evidências paranormais simplesmente para "fazer dinheiro com isso."!

Ele disse tudo isso em uma entrevista para a Darkness Radio apresentadca por Dave Schradera, que foi ao ar na noite do dia 31/12/2015. Você podia ouvir até um tempo atrás a entrevista neste link, mas então ela foi retirada do ar. Abaixo estão transcritos as partes mais relevantes:

- Dave Schrader: Mr. Playfair, tenho certeza que você está familiarizado com Ed e Lorraine Warren e sua pesquisa e trabalho. Será que eles já trabalharam junto com a Sociedade de Pesquisas Psíquicas?

-Guy Lyon Playfair: Não. Encontrei Ed Warren uma ou duas vezes, e Lorraine ... e eu tenho a impressão de que Ed Warren era, bem .. (risos) preencha seu próprio palavrão. Eu não fiquei impressionado. Lorraine ainda está viva, então eu vou me abster de comentar sobre ela, mas ela era muito ... muito agradável quando eu a conheci.


Tudo o que posso lembrar é Ed Warren me dizendo que ele poderia fazer um monte de dinheiro para mim. Então eu pensei, "bem isso é tudo que eu preciso saber de você" e eu sai do seu caminho o mais rápido que pude. Eu disse que não fiquei impressionado. Ele não passou... Eu acredito que ele foi lá somente uma vez. E eu li em algum lugar uma transcrição de uma longa entrevista que ele é acusado de arquitetar com uma das meninas - que não consigo lembrar qual - e foi descrito todos os tipos de maravilhosas que eu não acho que nunca aconteceu. Eu acho que ele foi um completo ... um ... bem ... (risos) ... preenche qualquer palavra ...


- Dave: (risos) Eu entendo. Então você não sente que - e, especialmente, nas interações que você teve com ele - você não sente que talvez eles tinham as melhores intenções quando vieram investigar o caso?


- Guy: Não, eles só queriam fazer dinheiro com isso.


- Dave: Okay. Será que - você você já ouviu, ou em sua pesquisa, se deparou com qualquer prova de que Ed ou Lorraine Warren tinha nada a ver com consultoria ou ser uma parte desta investigação?


- Guy: Certamente que não. Ninguém nunca mencionou. Quer dizer, eu não acho que ninguém na família que nunca tinha ouvido falar deles até que eles apareceram. Sem serem convidados. E uh ..


- Dave: Ah, então acabou de sair ...


- Guy: ... ele disse quem ele era, e ele não voltou novamente.


- Dave: Então ele apareceu no local sem ser convidado, e só apareceu para tentar inserir-se na história, é o que você quer dizer?


- Guy: Isso é o que eu me lembro, sim.


- Dave: Ok, fascinante.


- Guy: Foi bastante breve. Ele era apenas um .. tivemos tantas pessoas indo e vindo. Quer dizer, eu lembro do um dia que ele chegou. Acho Lorraine estava lá também - Eu também os conheceu no Brasil. Eles parecem que apareciam em todo o lugar. Esimplesmente não foi grande coisa. Quer dizer, eu tive uma breve conversa com Ed em Enfield, e como eu disse, ele estava me dizendo quanto dinheiro ele iria me ajudar a fazer, e eu educadamente recusei sua ajuda, e disse que não era assim que trabalhavam na SPR, e que foi a última vez que o vi.


As alegações não devem causar qualquer surpresa para aqueles que tenho tido mesmo um breve olhar sobre o caso Poltergeist Enfield, pois não há registro real do envolvimento de Ed e Lorraine, exceto por conta própria.

Greg Newkirk, do site Week in Weird, resolveu pesquisar por que um estúdio escolheu o caso Enfield para a sequencia de Invocação do Mal, uma fez que Ed e Lorraine trabalharam em casos como Amityville, escreveram 6 livros, e participaram de outros sete. Por que resolveram dramatizar uma história em que eles foram meros coadjuvantes? Ele acredita que provavelmente o estúdio não possui os direitos de seus casos reais.

Na esteira do sucesso de bilheteria do filme original, a Warner Bros. esteve sujeita a uma ação judicial que visava impedi-los de fazer quaisquer sequencias. A ação veio do produtor Tony DeRosa-Grund da Evergreen Media Group, que detinha os direitos para os "arquivos de casos reais de Ed e Lorraine Warren" antes de licenciá-los Warner Bros. Evergreen mídia afirma que a 'New Line estava apenas com os direitos concedidos a "um número muito limitado de casos - ou seja, menos de um por cento (1%) do número total de arquivos - e de histórias da vida dos Warrens, em troca de um preço de compra para cada produção teatral ou a utilização de casos selecionados, bem como utilizar o Sr. DeRosa-Grund como produtor.

De acordo com a Evergreen Media, os Warrens possuem por volta de 8.000 casos, dos quais 25 foram licenciadas como possíveis filmes. Evergreen também afirma que, a fim de contornar o seu acordo de licenciamento, Warner Bros. não tinha os direitos sobre livro "The Demonologist" de 1980, escrito por Gerald Brittle sobre os Warrens, que incluiu breves menções de seus casos, como o caso Annabelle, ganhou um filme, e outro em que 
Ed e Lorraine afirmam que eles estavam presentes na investigação do fantasma de Enfield. Algo sorrateiro, se for verdade.


Conclusão


Estamos diante de um dos casos mais importante e bem documentados de todos os tempos, o Poltergeist de Enfield. A imprensa britânica, vizinhos, policiais e pesquisadores testemunharam que presenciaram coisas extraordinárias e sem explicação, como objetos flutuando.

E não vamos nos esquecer que Maurice Grosse, o principal investigador, era membro da Society for Psychical Research (SPS ou Sociedade para a investigação Psíquica) da Inglaterra que em conjunto com a American Society for Psychical Research (ASPS ou Sociedade para a investigação Psíquica Americana) dos Estados Unidos, são as mais renomadas sociedades de estudos paranormais do mundo.

Todos poderiam ter sido enganados? Sim! Para mim, algumas coisas, como admitido pelas próprias adolescentes Janet e Margareth, foram manipuladas. Isso porque o fenômeno não ocorre quando elas desejavam, assim, na ânsia de brindar as pessoas com eles, ou mesmo na mais pura traquinagem de criança dessa idade, fraudavam as coisas.

E mais, esse caso classicamente se encaixa no tipo de fantasma Poltergeist, que é desencadeado por uma menina entrando na adolescência, e temos duas aqui.

Portanto, para mim, sim, aconteceu fenômenos sobrenaturais naquela casa, não todos, mas a maioria foi real.

E para finalizar, fiquei muito chocado ao pesquisar e descobrir que os Warren nada tem haver com o caso, que foi todo investigado pela SPR, e que Ed Warren tentou se juntar a investigação para ganhar dinheiro....


Investigação/Tradução/Adaptação: rusmea.com & Mateus Fornzari

Fontes (acessadas em 09/04/2016):