Novidades

24 de agosto de 2016

What’s happen with Mrs.Jane ? (Happy birthday to me)



A historia que vou lhes contar se passou com uma amiga que me autorizou a divulgação da mesma  , para preservar a integridade irei trocar nomes para não a expor .
 O dia do aniversario de Jane estava chegando , e ela mal se agüentava de ansiedade para a chegada da data , tinha convidado todos seus amigos para a festa que estava planejando dar em sua casa a meses , todos haviam confirmado a presença e Jane preparava algo perfeito , falou com seus pais para que os preparativos fossem de primeira e que nada podia dar errado . Jane era uma garota de 15 anos de idade , sempre teve tudo que queria e nunca lhe foi negado nada , mimada que si só , vivia choramingando coisas no mínimo fúteis , tudo que ela queria tinha de ser na hora e feito da melhor forma possível , por ser filha única seus pais a mimara muito e isso a deixou mal acostumada . O dia do aniversario chegou e na escola pela manha ninguém se quer a deu parabéns a garota , ela então pensou que  estavam aguardando a festa que ela mesma e seus pais haviam preparado para a noite de sexta  . A aula acabou e Jane correu para sua casa , chegando lá notou que ninguém se encontrava na mesma , percebeu que os preparativos da festa não estavam acontecendo , frustrada e preocupada pegou o telefone e ligou para seus pais , cada qual veio com uma desculpa , o seu pai xerife da cidade disse que teria de trabalhar por turno extra e que não poderia aparecer em casa antes da meia noite e sua mãe diretora de um hospital disse que teria de ficar de plantão por toda madrugada mais que no dia seguinte compensaria tudo  , Jane ficou pasma e com muita raiva não acreditava que aquilo estava acontecendo, como ficaria a sua festa ?  Quem poderia ajudar ? Logo pegou o telefone e ligou para seus melhores amigos , o que mais lhe surpreendeu e que nenhum deles atendera o telefone , na última tentativa ligou mais uma vez para Felícia sua melhor amiga que atendeu o telefone , Jane então lhe contou sobre o ocorrido e Felícia como se tivesse esquecido da data fez com que não se importava com nada , mais de supetão disse “ Ahh ... sim minha amiga irei ai o mais rápido possível “ após desligar o telefone Jane pensou o que poderia estar acontecendo Felícia não lembrava de seu aniversario . O tempo passou e Felícia não deu as caras na casa de Jane , o tempo foi passando e com o tempo foi chegando a noite Jane resolveu sozinha organizar tudo antes que seus convidados chegassem , arrumou tudo abruptamente e fez o melhor que pode , todas as comidas e bebidas estavam disponíveis e tudo parecia estar organizado e pronto para a festa após muito tempo de trabalho  . O relógio já batia 20:00 porem ninguém aparecera na festa de Jane , seus pais se quer ligaram para dar os parabéns e ninguém , realmente ninguém apareceu , Jane ficou muito triste , arrasada e super irritada com tudo que estava acontecendo , com tanta raiva que nem pensou que tudo poderia passar de um combinado entre pais e amigos para que fosse lhe feita uma festa supressa no dia seguinte , o que de fato iria acontecer  . O que ninguém esperava era a reação de Jane e o que estava por vir  . No dia seguinte todos estavam super animados para dar os parabéns para  Jane , amigos,  parentes e pais , todos estavam felizes por tudo ter dado supostamente certo . Ao chegarem notaram que todas as luzes estavam apagadas , em questão de segundos tudo acendeu dando a todos uma visão sinistra e maquiavélica  , Jane estava sentada em uma cadeira morta , o bolo com a vela ainda acesa e tudo que tivera preparado e posto para os convidados intacto e em cima na parede um letreiro escrito enorme “ Happy Birthday To Me” que piscava de vermelho de modo sincronizado com uma música fúnebre ao fundo que saia de um rádio .
Ass: Glaucow Maciel Freitas
Sé copiar colocar devidos créditos , Obrigado! (Plagio e crime)

20 de agosto de 2016

O Que Aconteceu Com Meus Pais ?


um caso assustador de desaparecimento e assassinato que a policia não solucionou, um mistério






Era sexta feira e Ivo tinha chegado a sua casa tarde do serviço, pois teve de ficar para atividades extras, estava cansado e queria um final de semana tranqüilo e só, passou no mercado e comprou cerveja e uma boa peça de picanha para assar.  Chegando a sua casa notou que seus pais não estavam e ainda mais estranho a casa estava de portão aberto e as luzes todas apagadas, entrou com sua moto ligada para iluminar o caminho com o farol e não notou nada de estranho, exceto pela casa aberta e um dos carros não estarem na garagem, logo pensou que seus pais tivessem saído e esqueceram-se de fechar o portão, entrou então para a casa afoito e animado com o final de semana, ajeitou todas as cervejas e a carne na geladeira, acendeu a churrasqueira para aquecê-la e foi ao banho , no meio do banho escutou alguns barulhos pela casa,  ignorou pelo fato da musica que colocou estar alta e pensou que poderia ser apenas fruto de sua imaginação . Ao sair do banho começou a tomar sua cerveja enquanto via uma reportagem sobre extraterrestres, começou a comer quando recebeu uma ligação de seus pais dizendo que só voltariam no dia seguinte, pois tiveram um problema , perguntou o problema e neste instante a ligação caiu, tentou ligar algumas vezes mas não conseguiu ambos telefones de seu pai e sua mãe estavam fora de área de cobertura, tentou acalmar e pensou que poderia ser algum problema com o carro . O tempo foi passando e o sono foi chegando, após uma cerveja e outra o rapaz resolveu dar uma ida em um bar comprar mais cerveja então saiu com sua moto, na volta notou o portão aberto e novamente todas as luzes apagadas como da vez que chegara do serviço, muito assustado entrou com a moto para dentro da casa com medo tentou fazer barulho para alertar o que quer que esteja ali sumisse , entrou afobado e jogou tudo na mesa, revirou toda a casa a procura de alguém enquanto chamava a policia pelo telefone, que em questão de segundos estava em sua residência os policias da região, revistaram tudo nada fora encontrado, falaram então que era para Ivo parar de beber e perguntou se tinha usado algum tipo de droga ilícita, ele respondeu que não e que jurava que tinha deixado o portão fechado e as luzes acessas ao sair, os policiais não fizeram mais perguntas e foram embora apenas disseram que voltariam em breve para ver se estava tudo bem. 






O garoto foi deitar ainda cismado e preocupado por ter ocultado algumas coisas da policia por medo deles o julgarem como doido, porem muito cansado adormeceu rapidamente, os policiais voltaram porem notaram tudo muito quieto e deixaram, "o garoto deve estar  dormindo" pensaram. De madrugada acordou com um estalo vindo debaixo de sua cama, levantou afoito ao pisar no chão notou uma mancha de sangue próximo ao pé da sua cama, ofegante e em pânico olhou por de baixo da cama, não acreditou no que estava vendo, seus pais estavam ali debaixo e mortos o sangue estava frio e talhado no chão. Quem fizera a ligação para Ivo alegando serem seus pais? O que entrou em sua casa? Como tudo isso aconteceu? Ate hoje o mistério não foi solucionado Ivo mora sozinho e até hoje não consegue explicar aquela noite, perturbado com tudo toma remédios controlados para evitar ataques de pânico e recebe visitar diárias de psicólogos, após algumas sessões afirmou que naquela noite sentiu cheiro de carne podre por toda casa e que um cheiro de queimado ardia suas narinas e que ao olhar para seu quintal uma certa hora , notou duas figuras que pareciam ser seus pais e que estas acenaram de forma misteriosa como se dessem um tchau , porem nada foi  descoberto . Atualmente na casa onde Ivo morou com seus pais, foram encontrado dois corpos , a autopsia não revelou de quem seriam , não sabe-se ate hoje o motivo .
Se copiar colocar devidos créditos , muito obrigado !

Ass : Glaucow M Freitas 

16 de agosto de 2016

Estigmas ( A Visão Da Igreja )

pessoa, que procura tanto a identificação com Cristo,
é capaz de sentir os mesmos sofrimentos físicos e morais que infligiram a Jesus
nos momentos de sua paixão e morte? Para a Igreja Católica, sim



Será que uma pessoa, que procura tanto a identificação com Cristo, é capaz de sentir os mesmos sofrimentos físicos e morais que infligiram a Jesus nos momentos de sua paixão e morte? Para a Igreja Católica, sim. E muitos santos, como São Francisco de Assis, Santa Rita de Cássia e Santo Padre Pio de Pietrelcina, teriam recebido em vida os estigmas de Cristo. Os estigmas seriam as marcas das cinco chagas de Jesus pregado na cruz, e surgem nas mãos e pés, costas (marcas das chibatadas) e cabeça (marca da coroa de espinhos). Somente nos santos, pessoas que procuraram em vida a verdadeira identificação com Cristo, as chagas se manifestariam.

SEM EXPLICAÇÃO

Durante séculos, cientistas e médicos têm-se debruçado no estudo sobre as pessoas que receberam os sinais, os chamados estigmatizados. Algumas teorias estudadas destacam que as feridas seriam provocadas pelas próprias pessoas que as recebem, quando se encontram em estado de hipnose ou de sonambulismo. Cientificamente, não foi encontrada explicação para tais fenômenos.Há os que defendem que as chagas aparecem por sugestões da mente. Segundo a parapsicologia, as feridas podem surgir por um fenômeno denominado dermografia - a produção de sinais na pele, como letras, manchas ou desenhos induzidos por estados alterados de consciência. Já para os mais céticos, liderados por Robert Todd Carroll, editor do Dicionário Cético, os ferimentos deveriam ser interpretados como uma fraude e não como reações psicossomáticas. "Nenhum estigmatizado manifesta esses ferimentos do princípio ao fim na presença de outros. Só começam a sangrar quando não estão sendo observados", diz o pesquisador. O primeiro estigmatizado e mais famoso teria sido São Francisco de Assis (1182-1226), um dos homens que mais se aproximou do modo de vida de Cristo. Alguns biógrafos, como René Fülop-Miller, em Os Santos que Abalaram o Mundo, defendem a idéia da presença dos estigmas no corpo do santo nos dois últimos anos de sua vida. Mas, para o biográfo Donald Spoto, em Francisco de Assis - O Santo Relutante, nenhuma fonte antiga digna de crédito se refere a chagas sangrentas nas mãos e pés de São Francisco. Segundo ele, as feridas que acometeram o santo não passavam de sintomas da hanseníase - doença antes conhecida por lepra.

 Como a Igreja explica os estigmas?

7 de agosto de 2016

Os 10 Maiores Serial Killers da História ( Como funciona a mente de um psicopata ? )


Os maiores maniacos e psicopatas do mundo, descubra o que se passa na mente detes perversos assasinos.


A PSICOPATIA TRANSTORNO ANTISSOCIAL DA PERSONALIDADE


O que leva um indivíduo a cometer um crime, sem sentir medo ou compaixão?
De acordo com Robert Hare, autoridade mundial em psicologia criminal e professor da Universidade da Colúmbia Britânica (Canadá), a única característica inconfundível de um psicopata é, exatamente, “a falta de emoções, da capacidade de se colocar no lugar de outra pessoa para, pelo menos, imaginar seu sofrimento”. Hare também acrescenta que um psicopata procura entrar na mente das pessoas até tentar imaginar o que elas pensam, mas nunca conseguirá chegar a entender como elas se sentem. Demonstrou-se, inclusive, que um psicopata pode chegar a se relacionar social ou intelectualmente, mas sempre vendo as pessoas como objetos, isto é, retiram do outro seus atributos de pessoa para considerá-lo como coisa.
A psicopatia é uma anomalia psíquica, um transtorno antissocial da personalidade, devido à qual, apesar da integridade das funções psíquicas e mentais, a conduta social do indivíduo que sofre dessa anomalia se encontra patologicamente alterada.
As causas que se encontraram do porquê da conduta psicopática indicam que, por serem indivíduos relativamente insensíveis à dor física, quase nunca adquirem medos condicionados, tais como o medo da desaprovação social ou da humilhação, medo de que restrinjam suas más ações, medos esses que dariam a esses indivíduos um senso do bem e do mal.
As características de conduta do psicopata poderiam ser determinadas tanto por fatores fisiológicos como por fatores sócio-psicológicos. A conduta psicopática poderia ser causada por traumas infantis que geram conflitos, devido aos quais a “Criança” não pode se identificar com o progenitor do mesmo sexo nem se apropriar de suas normas morais. Os psicólogos comportamentais acreditam que a conduta psicopática resulta do aprendizado.
O psiquiatra norte-americano Hervey M. Cleckley,  pioneiro na pesquisa sobre psicopatia, identificou há algum tempo, em 1941, em seu reconhecido livro The Mask of Sanity (A Máscara da Sanidade), quatro subtipos diferentes de psicopatas:

OS PSICOPATAS PRIMÁRIOS não respondem ao castigo, à apreensão, à tensão e nem à desaprovação. Parecem ser capazes de inibir seus impulsos antissociais quase todo o tempo, não devido à consciência, mas sim porque isso atende ao seu propósito naquele momento. As palavras parecem não ter o mesmo significado para eles que têm para nós. Não têm nenhum projeto de vida e parecem ser incapazes de experimentar qualquer tipo de emoção genuína.

OS PSICOPATAS SECUNDÁRIOS são arriscados, mas são indivíduos mais propensos a reagir frente a situações de estresse, são beligerantes e propensos ao sentimento de culpa. Os psicopatas desse tipo se expõem a situações mais estressantes do que uma pessoa comum, mas são tão vulneráveis ao estresse como a pessoa comum. São pessoas ousadas, aventureiras e pouco convencionais, que começaram a estabelecer suas próprias regras do jogo desde cedo. São fortemente conduzidos por um desejo de escapar ou de evitar a dor, mas também são incapazes de resistir à tentação. Tanto os psicopatas primários como os secundários estão subdivididos em:

PSICOPATAS DESCONTROLADOS: são os que parecem se aborrecer ou enlouquecer mais facilmente e com mais frequência do que outros subtipos.   Seu delírio se assemelhará a um ataque de epilepsia. Em geral também são homens com impulsos sexuais incrivelmente fortes, capazes de façanhas assombrosas com sua energia sexual. Também parecem estar caracterizados por desejos muito fortes, como o vício em drogas, a cleptomania, a pedofilia ou qualquer tipo de indulgência ilícita ou ilegal.

PSICOPATAS CARISMÁTICOS: são mentirosos, encantadores e atraentes. Em geral são dotados de um ou outro talento e o utilizam a seu favor para manipular os outros. São geralmente compradores e possuem uma capacidade quase demoníaca de persuadir os outros a abandonarem tudo o que possuem, inclusive suas vidas. Com frequencia, esse subtipo chega a acreditar em suas próprias invenções. São irresistíveis.
O psicólogo criminal Robert Hare diz que os psicopatas “não sentem nenhuma angústia pessoal e não tem nenhum problema; o problema quem tem são os outros. Sua capacidade para castigar suas vítimas se baseia em um comportamento anormal do cérebro, que reage de forma completamente diferente do que o de uma pessoa sã”.

Anos atrás o doutor Hare com base na revisão de registros penitenciários e de entrevistas realizadas com criminosos, concluiu que esse tipo de personalidade pode ser avaliado por meio de uma lista de 20 características ou sintomas:
1 Loquacidade / Encanto superficial.
2 Egocentrismo / Sensação grandiosa de autoestima.
3 Necessidade de estimulação / Tendência ao tédio.
4 Mentira patológica.
5 Direção / Manipulação.
6 Falta de remorso e de sentimento de culpa.
7 Afetos pouco profundos.
8 Insensibilidade / Falta de empatia.
9 Estilo de vida parasita.
10 Falta de controle comportamental.
11 Conduta sexual promiscua.
12 Problemas precoces de comportamento.
13 Falta de metas realistas no longo prazo.
14 Impulsividade.
15 Irresponsabilidade.
16 Incapacidade de aceitar a responsabilidade pelas próprias ações.
17 Várias relações maritais breves.
18 Delinquência juvenil.
19 Revogação da liberdade condicional.
20 Versatilidade criminal.
Por sua vez, de acordo com um estudo recente realizado pelo professor da Universidade de Cornell, Jeff Hancock e seus colegas, os psicopatas tendem a escolher palavras bastante concretas quando falam de seus crimes. O relatório foi publicado na revista Legal and Criminological Psychology(Psicologia Legal e Criminal), e revelou que 14 homens usavam mais palavras como “porque” ou “portanto”, o que indica que possuem um objetivo claro quando cometem seus crimes. E usam duas vezes mais termos relacionados a necessidades físicas como alimentos, sexo e dinheiro. Em seu discurso incluem apenas palavras que façam referências à família, à religião e a outras necessidades sociais. Também costumam usar mais o tempo passado e falar de forma menos fluida, empregando mais “ums” e uhs” do que o resto da população.

TOP 10 MAIORES SERIAL KILLERS DA HISTÓRIA



Você já deve ter ouvido falar no Jack o Estripador ou, até mesmo, no Maníaco do Parque, certo? Contudo esses assinados em série (serial killers) são bem modestos quanto ao número e métodos de assassinatos dos dez maiores serial killers da história. Apesar da aparência inofensiva deles, são verdadeiros psicopatas com alto nível de periculosidade.
Seus feitos não são bom para sociedade, mas ficaram na história como os assassinos que, diretamente, mais mataram pessoas no mundo.


10 - Harold Shipman


Este médico inglês matava as suas vítimas através da aplicação de doses letais de diacetilmorfina ou heroína, como é mais conhecida fora dos hospitais. Shipman foi acusado e condenado à prisão perpétua em julgamento realizado no ano 2000 por ter matado 15 pessoas. Porém, um novo inquérito aberto pela Polícia Britânica após o seu julgamento ligam o médico diretamente a outros 250 casos. Mas, os detetives acham que este número pode ser ainda maior, visto os mais de 2500 depoimentos dados e da análise de 270000 páginas de evidências.


9- Dr. Henry Howard Holmes



Holmes ou Herman Webster Mudgett (seu nome verdadeiro) é o primeiro serial killer americano que se tem notícia. Ele matava a suas vítimas em um “castelo” que na verdade era um hotel construído com o propósito especial de acomodar os seus hábitos homicidas. No local ocorreram, pelo menos, 27 assassinatos, porém as autoridades suspeitam que este número seja ainda maior, ou seja, ultrapasse 200 pessoas.


8 - Yang Xinhai



O chinês Xinhai ficou conhecido internacional pelo apelido de “Monster Killer”. Seus atos eram realizados durante a noite quando invadia as casas e, desta forma, matou 65 pessoas e estuprou 23, principalmente, entre os anos de 1999 e 2003. Yang Xinhai foi condenado por 67 crimes, sendo que foi executado em 2004, pelas autoridades.


7- Gary Ridgway



Preso em 2001, o americano Gary Ridgway foi condenado por ter matado 48 mulheres entre os anos de 1980 e 1990, contudo perante o juiz o próprio serial killer confessou que o número correto de assassinatos era de 71 pessoas. Seu julgamento ocorreu em 2003 sendo que sua condenação é de 48 prisões perpétuas, sem a possibilidade de liberdade condicional, assim como uma sentença adicional de 10 anos por cada vítima (48) por ter alterado evidências.


6 - Pedro Rodrigues Filho



Seu primeiro assassinato ocorreu quando tinha apenas 14 anos de idade e atuou, principalmente, nos estados de Minas Gerais e Goiás entre as décadas de 1960 e 1970. Pedrinho Matador, como era conhecido por todos era praticamente um justiceiro brasileiro pelo fato de que uma grande quantidade das suas vítimas eram criminosos. Foi preso em maio de 1973 e mesmo atrás das grades matou 47 colegas de cárcere. Sua sentença foi de 126 anos de prisão, mas como a lei brasileira não permite que o preso fique atrás das grades por mais de 30 anos foi liberado em 2007 – poderia ter sido liberado em 2003, mas as mortos dentro do presídio adiaram um pouco a data. Porém, Pedrinho Matador está preso novamente desde 2011 por ter participado de seis motins e um cárcere privado na época em que estava preso. Nunca se soube ao certo o seu número de vítimas, comprovadamente são 75, mas a polícia estima em mais de 100 mortes.


5 - Daniel Barbosa


   
O serial killer Daniel Barbosa é colombiano e sua primeira passagem pelas grades aconteceu em 1964 onde foi condenado por abusar de dez mulheres. Oito anos depois foi liberado e foi a partir deste ponto em que passou a ser ainda mais amedrontador e se tornou conhecido como “El sádico del Chanquito”, pois entre os anos de 1984 e 1986 ele mesmo admitiu ter matado 71 garotas e mulheres. Porém, a polícia colombiana estima que este número deva ultrapassar a marca de 150 mortes.


4 - Elizabeth Báthory



Sem só homens são serial killers, mas mulheres. A mais famosa e amedrontadora é Elizabeth Báthory que foi acusada pela corte húngara (Báthory era Hungra) de torturar e matar 80 garotas, contando com ajuda de outras quatro pessoas. Porém, registros confirmar que mais de 650 cabeças foram decepadas por sua culpa, ou seja, por seu próprio pedido. Nunca houve um julgamento real para a condessa, porém ela foi submetida a uma espécie de “prisão domiciliar” na Eslováquia.

3- Pedro López



      Colombiano ficou conhecido pelo apelido de “O monstro dos Andes” e confessou ter matado 110 meninas no Peru, 100 meninas na Colômbia e mais de uma centena no Peru  (não soube informar a quantidade). As vítimas escolhidas eram garotas jovens na faixa etária entre 9 e 12 anos, sendo que Pedro López foi preso em 1980 e condenado pelos110 assassinatos da jovens equatorianas, em 1983. Atualmente ele está solto nas ruas desde1998.



2 - Thug Behram

 


A história do indiano Thug Behram é um pouco controversa, pois em alguns livros ele é relacionado ao assassinato de 931 pessoas por estrangulamento, porém alguns autores dão conta de que ele teria sido responsável por “apenas” 125 mortes. Todos os seus crimes foram cometidos entre 1765 e 1840


1 - Luis Garavito



“La Bestia” como era conhecida popularmente, o colombiano Luis Garavito admitiu perante o juiz ter matado e estuprado mais de 130 jovens garotos durante os anos de 1980. Contudo a polícia militar colombiana estima que esse número ultrapasse os 400 assassinatos. Foi preso em 22 de abril de 1999 pela condição de 139 crimes e recebeu uma pena total de 1853 anos e 9 dias, porém assim como na lei brasileira não poderá ficar preso por mais de 30 anos.



FONTES :
http://top10mais.org/top-10-maiores-serial-killers-da-histor

3 de agosto de 2016

A Criatura Na Estrada

Uma criatura assustadora surge no meio da mata, assombração surge e assusta todos em um estrada a /></a></div>
<span style=
A pessoa quem me contou este relato disse que ate hoje não consegue tirar da cabeça aquela noite e que infelizmente sempre vai lembrar-se da criatura, abandonada" mesma afirma de pé junto que tudo realmente aconteceu e é verídico.

Era sexta-feira e Willian se preparava para ir ate a casa de sua namorada Franciele, iria pegar ela para irem ate um restaurante onde iriam comemorar o segundo ano de aniversario de namoro. O garoto pediu o carro o pai que nunca lhe negará nada lhe emprestou e ainda lhe arrumou cem reais em caso de maiores necessidades. Chegando ao restaurante o casal após o jantar regado de vinho, entusiasmados e apaixonados resolveram arrumar um lugar para transarem, mas Franciele era menor de idade e Willian sabia que poderia ter problemas em um Motel, então tiveram a brilhante idéia de irem ate um canto em uma estrada de chão afastada da civilização e fazerem no carro mesmo. As ruas eram estreitas e a estrada totalmente ruim o acesso, mas Willian se embrenhou no caminho com o carro ate encontrar um lugar aparentemente tranqüilo, ao estacionar começaram a se pegar, tudo ocorria bem até que o silencio da mata foi quebrado por um gemido assustador, Franciele imediatamente se alertou perguntando a Willian se ele havia escutado, porem o mesmo se quer deu importância e disse para ela que não era nada, os vidros do carro estava embaçado atrapalhando a visibilidade do casal que então continuaram o ato. 

Após exatos três minutos um gemido ainda maior seguido de um grito apavorante de dor deixou o casal totalmente paralisados e alerta, Willian então disse para Franciele ficar no carro enquanto ele iria checar o que estava acontecendo, ao sair do carro olhou em todas as direções e quando já ia voltar ao carro avistou a mais ou menos 20 metros uma figura um tanto quanto bizarra, o rapaz paralisado e sem responder Franciele que o chamava desesperadamente ficou ali observando sem reação a criatura corcunda que caminhava excomungada em sua direção e emitia ruídos um tanto quanto perturbadores, Willian firmou as vistas e conseguiu identificar que a criatura se parecia com uma mulher porem esta parecia deformada, os cabelos escorridos cobriam o rosto e a cabeça fazia movimentos como se esta estivesse solta no ar, era inacreditável, ele então entrou no carro e o ligou e disse para Franciele que iriam embora, a garota o perguntava o que estava acontecendo e ele disse que depois falava, assim que o vidro desembaçou e o carro começou a andar a criatura estava ainda mais próxima a mais ou menos 10 metros de distancia, Franciele em uma crise histérica de nervosismo se colocou no banco de trás pedindo para que Willian saísse dali, porem o garoto estava em um estado de hipnose como se vislumbrasse aquela criatura que aproximava cambaleante emitindo seus grunhidos macabros, Franciele gritou tão alto que Willian assustou ligando o carro e dando ré até a estrada, acelerou o mais rápido que pode a fim de sair daquele pesadelo. 

No meio da estrada, já mais tranqüilo, Willian tentou conversar com Franciele que apenas chorava, olhou então para o lado onde tinham algumas plantações de milho e viu novamente a criatura parada o encarando como um predador. Até hoje Willian não consegue explicar o que era aquela criatura que vagava em meio a mata, a única coisa que diz ao mencionar o assunto e “foi a pior sensação da minha vida”.

Se copiar colocar devidos créditos, obrigado !

Ass : Glaucow M Freitas

2 de agosto de 2016

O Manicômio de Barbacena

O famoso manicômio de Barbacena-MG, descaso com pacientes, o local foi comparado com o Holocausto, surge a famosa expressão trem de doido


Todo mundo escuta histórias de terror dignas de produções do cinema e não acredita. Aqui no Brasil há contos reais de maus tratos muito semelhantes aos que aconteceram nos eventos históricos mais trágicos da humanidade. Mesmo tendo sua fundação datada de 1903, foi somente na década de 80 que o Hospital Colônia de Barbacena ganhou destaque nacional. A história era de internos que sofriam maus tratos em elevados graus e chocou totalmente a opinião pública.

Para o médico psiquiatra Franco Basaglia, um renomado profissional do ramo e quem realizou visitas ao manicômio de Barbacena, o lugar não deixava nada a desejar para um campo de concentração nazista.Foram mais de 60 mil mortes e eram muitos pacientes sujos, feridos, com corpos que denunciavam de cara a fome que passavam. As cenas chocaram o Brasil e até hoje causam revolta quando o assunto volta à tona.
Holocausto Brasileiro, por Daniela Arbex

Cerca de 70% dos “pacientes” não tinham problemas mentais
Não haveria título melhor para descrever as atrocidades ocorridas no Manicômio de Barbacena. A jornalista Daniela Arbex reuniou registros para mostrar alguns dos crimes que aconteceram de 1903 até 1980. Em um levantamento que a repórter da Tribuna de Minas realizou, constatou que 7 a cada 10 pessoas que se encontraram internados no hospital não eram doentes mentais.
De acordo com o livro, estes “doentes” não passavam de homossexuais, pessoas que sofriam de epilepsia, prostitutas, viciados em álcool ou entorpecentes, entre outros. Nada que não passasse de gente que questionava em algum momento o status da sociedade. Por serem considerados incômodos para os políticos e até mesmo para a comunidade em geral, que sempre seguia padrões pré-determinados pela época, foram taxados de malucos.

Por aqui também viviam jovens que engravidavam antes do casamento e recebiam a reprovação de seus pais. Mulheres que foram violentadas e até mesmo crianças consideradas com algum tipo de distúrbio. Era um verdadeiro horror. O que de pior acontecia também vinha de fora. Mesmo sabendo de tudo o que se passava dentro da “Colônia”, como era chamado o Manicômio de Barbacena, a sociedade da cidade nunca questionou ou protestou contra.
“As atrocidades não eram questionadas naquela época porque no início do século 20 existia um movimento eugenista de limpeza social muito aceito em todo o Brasil”, comentou Daniela Arbex em uma entrevista à Revista Carta Capital, sobre o seu livro Holocausto Brasileiro.

                                                         " Livro Holocausto Brasileiro " 

O comércio da morte

                                                                  “Os corpos eram comercializados por 200R$”

Este é um dos fatores que levavam à tantas mortes não ocasionais no Manicômio de Barbacena. Segundo os registros locais, o número de internos mortos “naturalmente” chegavam à 16 por dia. Logo após as investigações no local, foi comprovado que eles eram vendidos à faculdades de medicina.
Foram 1.853 registros encontrados nos documentos antigos do manicômio, com compra comprovada para 17 faculdades de Minas Gerais e estados mais próximos. Eles valiam aproximadamente 200 reais cada e isso favorecia a  superlotação do local. Uma verdadeira atrocidade.
Falta de recursos gerava desespero

 
                                                                           “ Beber água de esgoto era comum “

A falta de recursos para manter o Manicômio de Barbacena em condições decentes também fazia com que pacientes buscassem saídas extremas. Assim como conta no seu livro, Daniela afirma que era comum ver internos comendo ratos, bebendo água de esgoto ou até mesmo a própria urina, não tinham quartos disponíveis, o que fazia com que eles dormissem ao relento, sobre a grama, entre outros fatos.
Estupros eram constantes dentro do Manicômio de Barbacena. Isso gerava um alto índice de mulheres grávidas. Ainda quando estavam nesta condição, algumas sofriam abusos e como saída usavam a própria fezes espalhadas pelo corpo para se protegerem. Muitas perderam seus filhos na hora do parto e outras tiveram as crianças enviadas para adoção.
Tratamento com choque também acontecia no hospital

                                                        “Tratamento de choque sem anestesia era pura tortura”

O terror aos pacientes ainda aumenta, quando aqueles que mais questionavam o sistema do internato eram submetidos à tratamentos com eletrochoque. Os registros de Luiz Alfredo, o primeiro jornalista à investigar o local, mostravam que a carga elétrica era tão intensa que sobrecarregavam e derrubavam a rede elétrica de Barbacena.
Pra piorar ainda mais a situação não era usado anestesia durante o tratamento, o que transformava a prática num verdadeiro exercício sádico de tortura.
Os culpados continuam sendo um mistério
Não há até hoje investigação que descobrisse os culpados por mais de 60 mil mortes no Manicômio de Barbacena. Além dos assassinatos conscientes, foi constatado que a maioria dos doentes do maior hospital mental do país não tinham problema mental algum.

O fato não somente chocou a cidade inteira como o país, quando o repórter da Revista O Cruzeiro visitou o manicômio e registrou imagens impressionantes. Segundo ele, eram homens e mulheres praticamente nus, com uniformes sujos e a maioria com a cabeça raspada. O jornalista ainda afirmou que um dos doentes bebia água que jorrava de um esgoto, pois não tinha atendimento para tal necessidade.
Mesmo passando muitos anos, embora o Brasil tenha dado alguns passos no humanização do atendimento, Daniela Arbex afirma que muita coisa continua errada. Segundo a jornalista, os mesmos assassinatos são cometidos, mas com nomes diferentes no país. Ela compara também alguns momentos do Manicômio de Barbacena com a chacina da Rocinha e muitos outros momentos tristes do Brasil.
Depoimento de uma sobrevivente
Elzinha foi uma sobrevivente do inferno vivido em Barbacena. Atualmente ela mora em um núcleo terapêutico residencial com outras mulheres com diferentes níveis de dificuldade. Quando criança ela foi internada em uma instituição de menores e posteriormente, já adulta, transferida para Barbacena.
Ela conta que nunca ficou trancada ou foi torturada por choques, mas viu muitas pessoas passarem por isso. No tempo em que ficou internada nunca recebeu a visita dos parentes.
“Queria que minha família viesse aqui só para me ver, para ver que eu estou boa. Não é para eu ir embora com eles, não. Não sei porque me internaram criança. Eu não fiz nada com Deus, não fiz nada com eles.”