Novidades

11 de julho de 2016

Os Quadros das Crianças


Um caso assustador, dois quadros assombrados por entidades e espiritos malignos


Anne chegou à cidade de Milwaukee – Wisconsin no ano de 2010, o seu objetivo era simples recomeçar do zero. Após o termino do casamento que durou 10 anos queria recomeçar e reencontrar seu caminho em uma cidade longe da Geórgia onde viveu maus bocados com seu ex marido. A casa para onde havia se mudado era pequena, porém confortável suficiente para ela morar bem, cansada pela mudança Anne foi arrumando as coisas devagar e assim ia se adaptando a casa, os seus vizinhos foram super receptíveis e a receberam muito bem na vizinhança. A primeira noite foi tranqüila e graças a Mary sua nova vizinha que a trousse comida, tinha hambúrgueres frescos para o jantar, e Anne se poupou de comer congelados. Na madrugada escutou alguns barulhos no sótão, chiados e coisas batendo, imaginou então problemas com ratos ou ate mesmo outros animais. Assim que acordou na manhã seguinte estava decidido, iria arrumar tudo, subiu ao sótão para armar armadilhas para os malditos ratos, o cheiro de mofo fez com que sua alergia atacasse e em uma crise de espirros tropeçou em dois quadros pintados em cada qual uma criança, em um havia um garotinho e no outro uma garotinha, apaixonada pelos quadros resolveu os pendurar na sala como decoração. A noite chegou e Anne preparou seu jantar, estava comendo e assistindo TV quando escutou passos vindos da sala, alerta foi checar o que se tratava e nada encontrou, assim que virou as costas teve a sensação que algo havia passado próximo de si, aquilo arrepiou os pelos de seu corpo e a fez sentir uma pontada de desespero seguiu ate a cozinha onde continuou a comer. Após o jantar, exausta pela arrumação foi descansar, deitou em sua cama e adormeceu , acordou na madrugada porem não eram barulhos no sótão e sim um choro um tanto quanto estranho que parecia vir de sua sala, deixou de lado pensando ser coisas de sua imaginação, porem após algum tempo escutou novamente o choro que parecia mais próximo e nítido, aquilo fez Anne levantar de sua cama, porem o choro parou, pensou então que poderia ser o filho de Mary e deixou de lado. Ao acordar após se ajeitar foi ate a cozinha preparou seu café e sentou em frente à TV para comer, algo chamou sua atenção nos quadros, ela percebeu que as crianças neles pintadas estavam com feições diferentes de dois dias atrás, estas pareciam tristes e quase se podia notar algumas lagrimas escorrendo de seus rostos, tentou ignorar aquilo apesar de um tanto quanto esquisito , pensou consigo mesma “não vou deixar minha mente me pregar peça, isso e apenas fruto de minha imaginação”. Saiu de sua casa para seu primeiro dia de emprego em uma loja de telemarketing, o dia foi tranqüilo e sem novidades, mas não conseguia tirar os quadros e o misterioso choro na madrugada, pensou consigo que seria tudo muito estranho e muita coincidência. No final do expediente passou no mercado para fazer umas comprinhas, o relógio marcava 10H quando chegou a sua casa, antes de entrar notou que a luz da sala estava acessa , mas como podia pensou consigo ,sendo que havia apagado todas antes de sair, entrou pé por pé em casa e vasculhou tudo e ate pensou em chamar a policia, porem tudo estava em ordem, olhou para os quadros que naquele instante já a incomodava, os pegou e virou para frente à parede tirando os rostos agora tristes das crianças pintadas de suas vistas iria se livrar deles no dia seguinte. No banheiro se despiu e começou a tomar banho, escutou novamente o misterioso choro, só que este era diferente, era agonizante e pareciam vir de dois locais diferentes, saiu do banheiro ainda enrolada na toalha só que nada encontrou, se vestiu e foi dormir. Acordou de madrugada com barulhos vindo da sala, neste instante Anne estava assustada e sentia algo muito ruim no ambiente onde estava, levantou com medo, cansada e irritada foi ate a sala e viu vultos no corredor que seguiu ao seu quarto a deixando paralisada, uma risada infantil ecoou de seu quarto, Anne desesperada fez contato com a policia dizendo que algo não estava certo em sua casa, alguém alem dela estava presente, a policia chegou minutos depois e nada encontrou após vasculhar a residência, Anne recebeu o telefone de um dos policiais que disse para se manter calma, que poderia ser o cansaço gerado pela mudança, se despediu e foi ate seu quarto tentar dormir após alguns calmantes. O relógio despertou, eram 8H da manha e Anne tinha de ir trabalhar, assim que chegou a sala não acreditou no que via, a sala estava totalmente revirada como se um furacão tivesse passado por ali, mas o que a deixou horrorizada foram os quadros, estes estavam virados para frente e as imagens das crianças que antes ali estavam não se encontravam, a única coisa que se podia ver eram em cada qual uma silhueta e uma sombra, o que aconteceu naquela casa ate hoje e um mistério, a origem dos quadros ninguém sabe, Anne hoje mora em outra casa no mesmo estado e ate hoje não se recuperou do fato ocorrido.


Ass : Glaucow M Freitas
Se copiar colocar devidos créditos , obrigado !