Novidades

22 de fevereiro de 2016

O Perturbador caso de Tanzler e Hoyos


Carl Tanzler, ou Conde Carl Von Cosel (8 de fevereiro de 1877 – 3 de julho de 1952), era um radiologista alemão nascido no Estados Unidos Marine Hospital em Key West na Florida que desenvolveu uma obsessão mórbida por uma jovem paciente cubano-americano de tuberculose, Elena Milagro "Helen" de Hoyos (31 de julho de 1909 - 25 de outubro de 1931), que continuou bem depois que a doença causou a morte dela. Em 1933, quase dois anos após sua morte, Tanzler retira do túmulo o corpo de Hoyos e viveu com o cadáver em sua casa durante sete anos até ser descoberto por familiares de Hoyos e autoridades em 1940.

Em 22 de abril de 1930, enquanto trabalhava na Marine Hospital em Key West, Tanzler conheceu Maria Elena Milagro "Helen" de Hoyos (1909 – 1931), uma mulher local cubano-americano, que tinha sido trazida para o hospital para um exame pela mãe. Tanzler imediatamente reconheceu-a como a bela mulher de cabelos escuros que tinha sido revelada a ele em suas "visões" anteriores. Por todas as contas Hoyos era vista como uma beleza local em Key West.



Elena foi à filha do fabricante de charuto local Francisco "Pancho" Hoyos (1883 – 1934) e Aurora Milagro (1881-1940). Ela tinha duas irmãs, Florinda "Nana" Milagro Hoyos (1906-1944), que se casou com Mario Medina (c.1905–1944) e também sucumbiu à tuberculose e Celia Milagro Hoyos (1913-?).

Em 18 de fevereiro de 1926, Hoyos casou com Luis Mesa (1908-?), filho de Caridad e Isaac Mesa, Luis deixou Hoyos logo após Hoyos abortar o filho do casal e se mudou para Miami. Hoyos era legalmente casada com Mesa no momento da sua morte.

Hoyos foi diagnosticado com tuberculose uma doença geralmente fatal na época que eventualmente ceifou a vida de quase toda sua família imediata. Tanzler, com seu conhecimento médico auto-proclamados tentou tratar e curar Hoyos com uma variedade de medicamentos, bem como raios x e aparelhos elétricos que foram levados para a casa dos Hoyos. Tanzler apaixonado rega Hoyos com presentes, jóias e roupas e alegadamente manifestou seu amor a ela, mas nenhuma evidência veio à tona para mostrar que qualquer um de sua afeição foi retribuída por Hoyos.

Apesar dos melhores esforços de Tanzler, Hoyos morreu de tuberculose terminal na casa dos pais em Key West em 25 de outubro de 1931. No funeral Tanzler com consentimento da família pagou um mausoléu que construiu no cemitério de Key West.



Numa noite de abril de 1933 Tanzler penetrou através do cemitério onde Hoyos foi enterrada e seu corpo retirado do mausoléu, após escurecer retirou o corpo em um carrinho do cemitério. Ele dizia que o espírito da Elena viria a ele enquanto estava sentado em seu túmulo e cantava uma serenata, uma canção espanhola favorita de Elena. Ele alegou também que ela muitas vezes dizia-lhe para levá-la do túmulo.  Em casa Tanzler anexou os ossos do cadáver juntamente com arame e cabides e montou o rosto com olhos de vidro, como a pele do cadáver  estava decomposta Tanzler substituiu-o com pano de seda embebido em cera e gesso. Como o cabelo caiu fora do couro cabeludo em decomposição, Tanzler formou uma peruca de cabelo de Hoyos que tinha sido recolhida por sua mãe e dado a Tanzler não muito tempo depois de seu enterro em 1931, o doutor também encheu o corpo abdominal e a cavidade torácica com trapos para manter a forma original, vestida com os restos das roupas de Hoyos, jóias e luvas e manteve o corpo em sua cama. Diariamente o Tanzler usava quantidades copiosas de perfume, desinfetantes e agentes de preservação, para mascarar o odor e retardar os efeitos da decomposição do cadáver.

Em outubro de 194 a irmã de Elena, Florinda ouviu rumores que Tanzler estaria dormindo com o corpo desenterrado de sua irmã e confrontou Tanzler em sua casa onde o corpo de Hoyos eventualmente foi descoberto. Florinda notificou as autoridades, e Tanzler foi preso e detido. Tanzler foi psiquiatricamente examinado e visto mentalmente competente para julgamento sob a acusação de "desenfreadamente e maliciosamente destruindo uma sepultura e removendo um corpo sem autorização". Após uma audiência preliminar em 9 de outubro de 1940, no Tribunal de Condado de Monroe em Key West, Tanzler foi detido para responder a acusação, mas o caso eventualmente caiu e ele foi solto como tinha expirado o prazo de prescrição para o crime.



Logo após a descoberta do cadáver por parte das autoridades o corpo de Hoyos foi examinado pelos médicos e patologistas e colocar em exposição pública na funerária Dean-Lopez, onde foi visto por cerca de 6.800 pessoas. O corpo de Hoyos eventualmente retornou para o cemitério de oeste chave onde os restos foram enterrados em uma vala comum em um local secreto para impedir outros delitos. 

Os fatos que fundamentaram o caso e a audiência preliminar chamaram muito interesse da mídia na época (mais notavelmente, dos cidadãos de Key West e Miami Herald) e criou uma sensação entre o público, tanto regionalmente e em todo o país. O humor público simpatizava geralmente com Tanzler, que era visto como um excêntrico "romântico". Embora não relatado, simultaneamente pesquisa (mais notavelmente por autores Harrison e Swicegood) revelou evidência de necrofilia do Tanzler com cadáver de Hoyos. Dois médicos (Dr. DePoo e Dr. Foraker) que assistiram a autópsia de 1940 do restos de Hoyos recordou em 1972 que um tubo de papel havia sido inserido na área vaginal do cadáver que permitia relações sexuais. Enquanto nenhuma fotografia contemporânea existentente da autópsia ou fotografias tiradas com a exposição pública mostram um tubo, a alegação de necrofilia foi repetida pelo programa de HBO autópsia em 2005.


Em 1944 Tanzler mudou-se para a Flórida, no Condado de Pasco perto Zephyrhills onde ele escreveu uma autobiografia que apareceu na publicação Pulp, aventuras fantásticas em 1947. Sua casa era perto do de sua esposa Doris com quem casou e aparentemente ajudou a apoiar Tanzler em seus últimos anos. Tanzler recebeu a cidadania dos Estados Unidos em 1950 em Tampa. Ainda obsesso Tanzler usou uma máscara da morte para criar um boneco em tamanho natural de Hoyos e viveu com ele até sua morte em 3 de julho de 1952. Seu corpo foi encontrado no chão de sua casa três semanas depois de sua morte. Ele morreu sob o nome "Carl Tanzler". Dizem que Tanzler foi encontrado nos braços da boneca de Hoyos, mas em seu obituário informou que ele morreu no chão atrás de um dos órgãos de Hoyos. O obituário relatado: "um cilindro de metal em uma prateleira acima de uma mesa em embrulhar em pano de seda e um sobre foi uma imagem de cera". Foi também descrito que Tanzler tinha o corpo de Hoyos comutado ( que restos de Hoyos foram secretamente devolvidos a ele) e que ele morreu com o corpo real de Elena. Não a evidencias de que o boneco encontrado junto de Tanzler era de cera ou restos mortais de Hoyos.

Esse texto foi retirado por minha pessoa da Deep Web.

Tradução : Glaucow Maciel Freitas