Novidades

29 de novembro de 2016

O Suicídio Do Escritor

Neste instante acordou de mais um de seus pesadelos



O dia estava ensolarado no sitio Great Dream’s no interior de Portland City, porem sua mente estava nublada, fumaças de cigarros e cervejas baratas tomavam seu tempo e seu cérebro o confundia em meio a tormentos e medo negado por todos que o perguntavam ... “ De onde você tira tudo isso ? , Como as criam ? Quem e isso , aquilo , aquele ? “  jurava diante de tudo que escutara aquela musica no meio da madrugada passada , estava dormindo ? De onde vira a música ? E as vozes quem eram? O dia estava tenso e ele não conseguia pensar em mais nada além da péssima noite anterior, o chuveiro ligando e aquele cantarolar na noite em que voltou para sua casa após uma noite com os amigos , o que aconteceu naquela noite ? Precisava criar algo, porem estava cansado e sua imaginação fritava a mil , algo o incomodava , algo muito assustador , tão assustador que nem sua mente sombria conseguia assimilar tal fato . A noite chegou e em meio a doses de whiskys começou a escrever a desenvolver um texto sobre algo que imaginava “ A Manca “ era um outro conto qualquer que produzia . Beirava uma hora da madrugada quando a luz de sua casa acaba e o seu medo cresce com o passar do tempo , não enxergava um palmo de sua frente , porem sua mente criava situações e criaturas bizarras , fantasmas de tudo que escrevera e viveu até ali , acendeu a luz do celular enquanto suava frio , não sabia o que estava acontecendo , que medo era esse ? Por que estava tão nervoso ? Sentou e ficou ali imóvel esperando que a luz voltasse , quando de repente um barulho vindo do seu quintal o alertou , era um gemido , algo muito estranho e nada humano , a luz voltou e com ela o alivio de poder enxergar sua casa por completo , foi ate a cozinha e chegando lá olhou pela janela a fim de ver o que estava acontecendo no quintal , o que via era inacreditável , por isso paralisou e ficou ali travado , enquanto uma mulher de meia idade andava pelo seu quintal capengando de um lado para o outro , carregava uma cesta , vestia uma roupa nada casual que pareciam mais trapos , os olhos do rapaz piscou , foi o suficiente para a criatura desaparecer em meio a escuridão , após o choque caminhou ate o quintal e lá encontrou a cesta que a mulher carregava , dentro dela um bebe morto, assustado gritou pela mulher porem não obteve resposta . Pegou a cesta e tentou ligar para a policia porem o telefone estava mudo, morava longe da civilização não tinha como ir ate o posto policial pois o mais próximo ficava a 30 km de distancia , levou a cesta para fora de sua casa a fim de sumir com aquilo , em seguida entrou para sua casa e voltou para o computador , após alguns minutos um choro cortou o silencio , era um choro de um recém nascido e vinha de seu quarto , levantou automaticamente caminhou ate seu quarto a medida que aproximava o choro cessava e lá estava a cesta com o bebe morto , já estava perturbado , pela primeira vez sentia medo , muito medo , medo de suas próprias criações , ou aquilo realmente estava acontecendo ? Pegou a cesta a levou para fora de sua casa , ventava forte e isso fez com que o portão fechasse , por seu azar a chave estava do lado de dentro e não tinha uma forma convencional de adentrar a sua residência , estava angustiado e irritado ao mesmo tempo ,começou a pensar em uma forma de entrar em sua casa em meio a pensamentos e lapsos de memórias olhou para a estrada pouco iluminada porem um ponto de luz chamou sua atenção , fixou bem os olhos para poder entender do que se tratava , talvez preferia não ter visto o que era mas era tarde demais , ali estava uma mulher que mancava em sua direção vestia branco e vinha lentamente a medida que se aproximava as gotas de suor surgia do rosto do rapaz , seu corpo gelado tremia muito de forma que doía seus ossos , queria gritar porem sua voz não saia , a porta de sua casa abriu de repente , correu para dentro afim de fugir daquilo , caminhou asfixiado e cambaleante ate a sala ao chegar lá encontrou seu blog aberto e de alguma forma cada passo seu era digitado de forma totalmente estranha , pegou uma Glock que portava e apontou para a cabeça ... Neste instante acordou de mais um de seus pesadelos .
“ Agora ... ainda querem saber como ele criava suas historias ? “

Glaucow Maciel Freitas
Se copiar colocar devidos créditos , muito obrigado ...

Horror Urbano : http://horrorurbano.blogspot.com.br/

"Qualquer conteúdo retirado deste blog que pertença ao mesmo que não tiver autorização ou creditados , sera considerado plagio e estará sujeito a penas cabíveis. "