Novidades

9 de dezembro de 2016

"Não brinque com coisas mortas"

Nunca brinquem com coisas mortas



"Nunca brinquem com coisas mortas". Me lembro desta frase como se a estivesse escutado ontem e ela já estava na minha cabeça a mais ou menos dez anos , foi meu avó quem me disse, pois sabia que era algo que nunca devia-se fazer. O fato que irei contar foi contado para mim pelo meu avó hoje falecido o seu nome irei mudar por respeito e privacidade. Era aproximadamente 9h da noite quando Olavo e seus amigos voltavam da escola, deviam ir direto para casa já que estudavam a noite e seus pais não queriam que eles ficassem na rua ate tarde, mas estavam convencidos de passar no cemitério para realizarem um desafio, chegando la começaram a zombar das fotos dos falecidos que ficavam nas sepulturas, não satisfeitos em fazer chacota começaram chutar algumas cruzes e quebrar alguns tumulos causando um verdadeiro vandalismo, foi quando de repente um luz surgiu de uma capela e um homem saiu com uma lanterna atras dos baderneiros, era o vigia do cemitério ele botou os moleques para correr. Já em casa Olavo tomou uma surra por ter ficado ate tarde e não ter obedecido seus pais , eles o mandaram tomar um banho e jantar e ir logo para a cama sem direito a televisão, computador ou algo interativo naquela noite . No dia seguinte Olavo acordou com alguns pequenos hematomas no corpo mais não deu importância a nada daquilo , tomou seu café da manha e foi fazer a lição de casa, no meio da lição alguém o chamou do lado de fora ao ir atender viu que não se tratava de ninguém e que nem mesmos seus pais estavam em casa, pois trabalhavam o dia todo praticamente , voltou ao dever e assim que terminou sentou no sofá e começou a assistir TV onde passava um jornal que falava a respeito do cemitério local que havia sido depredado por vândalos, no meio da filmagem ele viu então uma figura sombria atrás da repórter ela atravessara de um lado para o outro em fração de segundos, o garoto ficou petrificado pois lembrava bem daquele rosto em um dos túmulos no qual tinha derrubado, como estava atrasado desligou a TV e foi para a escola. Nenhum de seus amigos o acompanhara aquela noite, foi sozinho e voltou sozinho, próximo ao cemitério um assobio ecoou de dentro do cemitério ao olhar a mesma figura que surgira no jornal parava e o fitava com os olhos acenando então para ele que neste instante disparou a correr ate sua casa ao chegar la contou a historia para os seus pais , Olavo ficou tento pesadelos e visões ate o dia em que uma benzedeira foi ate a sua casa o benzeu ele foi ate o cemitério acendeu uma vela para todos que ali descansava e com orações se desculpou por tudo que fez . Deste dia para cá Olavo nunca mais tivera problema algum com nada sobrenatural ou algo do tipo no ano de 2008 ele me contou esta historia e disse para mim e para todos meus primos "Não brinquem com coisas mortas". No ano seguinte faleceu em seu velório as coroas de flores voaram misteriosamente do seu túmulo , sempre que alguém ia visitar seu túmulo via que a cruz e todo o resto estava quebrado e depredado e nenhuma flor se quer ficava no local , os vigias dizem que não tem tido problemas com vândalos mais aquilo era de fato intrigante seria o fantasma dos demais mortos vingando do que ele fizera ?. Lembrem-se , "Nunca briguem com coisas mortas"

Se copiar colocar devidos créditos , na boa em
http://horrorurbano.blogspot.com/
Escrita por : Glaucow Maciel Freitas