Novidades

26 de junho de 2017

5# Pedrinho Matador- 1954 - até Atualmente (Psicopatas, Maniacos e Assassinos)


Pedro Rodrigues Filho ficou famoso por assassinatos cometidos fora e dentro da prisão, tirou a vida de 48 companheiros e xadrez.

Pedrinho nasceu em uma fazendo em Santa Maria do Sapucaí, em Minas Gerais. Agressões cometidas pelo seu pai desde quando ele estava na barriga da mãe lhe rendeu traumas no crânio. A primeira vez que sentiu vontade de matar foi aos 13 anos quando brigou com um primo. Até os 14 anos frequentou a escola municipal em que o pai era vigia e fora acusado de roubar merendas. A demissão de Pedro Rodrigues significou uma sentença de morte dupla. Pedrinho matou pela primeira vez, vingando do prefeito e vitimando outro vigia que teria sido o verdadeiro ladrão.

Em fuga para Mogi das Cruzes, interior de São Paulo, onde assumiu um ponto de drogas de um traficante recém-falecido, levando a viúva de lambuja. Para firmar posição, matou três traficantes ligados ao ex-gerente da boca. De quebra ainda recrutou “soldados” para proteger o negocio. Antes dos 18 anos conheceu sua paixão, Maria Aparecida Olímpia. Ao encontra-la morta em casa, partiu para outra vingança. Torturou e matou várias pessoas antes de apagar o mandante do crime, um ex-rival, numa festa de casamento na ocasião, Pedrinho matou outros 5 e feriu 16.  

Já era um procurado famoso quando foi preso pela primeira vez, denunciado pelo pai da sua namorada. Sua reputação de matador já corria pela prisão, onde, finalmente, aprendeu a ler e escrever. Aos poucos, foi perdendo contato com o trafico e com o mundo exterior. Até que tentaram baixar a bola do rapaz na cadeia. Cinco caras armaram uma emboscada contra ele no pátio da prisão. Para se defender Pedrinho improvisou uma faca e, no fim da encrenca, matou três e feriu dois, que fugiram. A fama de matador só aumentava...No julgamento ficou decepcionado pois ficou sabendo que só seria acusado de 18 homicídios, ele jura ter matado mais de cem pessoas, incluindo o próprio pai. Suas penas somadas, dariam mais de 128 anos de cadeia, porém, suspeita-se que Pedrinho inventava vários de seus crimes.


Que fim levou? Foi liberado em 2007, mas preso de novo em 2011, na cidade catarinense de Camboriú, por ter participado de rebeliões quando estava preso. Em 2016 foi beneficiado por um induto da justiça e foi solto.


FONTE: Coleção Mundo Estranho, Psicopatas, Maníacos e Assassinos , Editora Abril.