Novidades

25 de setembro de 2017

8# Bandido Da Luz Vermelha - 1942-1998 (Psicopatas, Maniacos e Assassinos)



João Acácio Pereira da Rocha, aterrorizou as mansões dos ricaços paulistanos na década de 60, virou celebridade e rendeu até um filme. Órfão de pai e mãe, João Acácio começou cedo no crime com pequenos furtos. Nasceu em Joinville, Santa Catarina, e ainda garoto fugiu dos cuidados de seu tio para morar na rua com seu irmão mais velho. Mudou-se para São Paulo nos anos 60.

João agia sozinho e armado, chegava até seus alvos de taxi ou ônibus e preferia atacar casarões de alta classe. A invasão rolava na alta madrugada – entre 4 a 6 da manhã – depois que o bandido cortava a energia do local. Para assaltar na escuridão, usava uma lanterna de luz avermelhada, mas o bandido só ganhou o apelido de Luz Vermelha por causa de um assassino americano que usava uma luz parecida com a de sirenes policiais na hora de matar as vitimas.

Agiu sem ser pego durante seis anos e foi capturado por um vacilo, ao deixar impressões digitais no vidro da janela de uma casa assaltada. Foi preso em 1967, no Paraná, e pegou uma pena de 351 anos de prisão. Com seu jeitão excêntrico, virou celebridade, vestindo-se como os Beatles e os cantores da Jovem Guarda, como Roberto e Erasmo Carlos. Torrava a grana em boates e recebia cartas de amor enquanto estava atrás das grades.

Sob a cor do diabo”- como o próprio João Acácio se referia ao vermelho-, matou quatro pessoas e cometeu 77 assaltos. Apesar de nunca ter sido acusado oficialmente, existe a suspeita de que tenha estuprado mais de cem mulheres. Em 1968, fizeram um filme sobre sua vida. A sequencia, intitulada Luz nas Trevas- A Revolta de Luz Vermelha, foi lançada em 2010, com Ney Matogrosso como João Acácio, mostrando a vida do bandido no Xadrez.


Que fim levou? Desdentado e com distúrbios psiquiátricos, saiu da prisão em 1997, após 30 anos de reclusão. Quatro meses depois, em Janeiro de 98, foi morto em uma briga de bar em Joinville, sua cidade natal.

FONTE: Coleção Mundo Estranho, Psicopatas, Maníacos e Assassinos , Editora Abril.