Novidades

6 de outubro de 2017

O Baile da Meia Noite



A história conta que uma jovem, da cidade Arapicara/AL na década dos anos 80, foi para um baile, e lá conheceu um rapaz, bonito, respeitoso e solteiro. No entanto ela achou que ele seria o rapaz ideal para namorar e quem sabe até casar. A hora passou e a noite também, tudo ia bem até certo tempo, chegava às 12 horas, e com ela vinha à impaciência do jovem, que demonstrava uma preocupação terrível. Naquele momento a jovem percebeu que havia algo de errado com o jovem, mas continuaram a dançar. Quando ele olhou para o relógio e viu que eram 11:59hrs, ele ficou quase louco, e saiu do baile sem dizer o porquê da tal atitude, ela como uma pessoa de bom senso, o seguiu e rindo fazia brincadeiras inocentes, ele tava transtornado, chorava e só dizia a seguinte frase," não foi minha culpa, não foi minha culpa", ela não entendia nada, mas continuo clamando ele. As 12 passaram, e o frio da madrugada, chegava, ele como um cavalheiro emprestou o seu capote. A relação entre os dois tava dando quase tudo certo. Ela pediu para ele, que fizesse companhia até a sua casa, e assim ele fez. A chegar a seu portão, ela entrou e esqueceu de devolver o seu capote, se realmente foi um esquecimento não se se sabe, pois poderia ser mais pretexto para torná-lo a vê-lo novamente. E assim ela fez, saiu na cidade buscando informações sobre jovem desconhecido que tinha conquistado a pobre jovem inocente. O rapaz que ela sonhou, o cara que poderia ser o pai dos seus filhos, mas nada ela encontrava, achava até que o povo estava com inveja. Pois ela não sabia do que estava por vir, passando por uma casa viu uma janela no 2º andar, e imaginem que estava na janela olhando para rua?! Isso mesmo “O jovem de ontem à noite, e ela foi até a porta toda alegre e contente, em pensamento dizendo” Meu deus eu vou torná-lo a vê-lo novamente. “chegando à porta, antes que ela chama-se alguém, alguém abriu e saiu com uma caixa cheia de objetos pessoais, um senhor na faixa de 48 anos meio magro e cabelos meios grisalhos, chorando muito nem notou que tinha alguém na porta, até a vizinha gritar e dizendo: seu Emanuel tem alguém que estar ai querendo falar com o senhor. Ai a jovem se aproximou e disse: O senhor conhece o Samuel? O senhor com tom de raiva a responde: Que porcaria de brincadeira é essa?! E continuou a reclamar com a jovem, dizendo: Se eu fosse seu pai, teria vergonha de você,uma pessoa sem sentimentos, sem coração, sem respeito e ainda vêem em minha casa, com um capote idêntico ao que meu filho faleceu! A jovem não acreditou e surtou no momento, ficou completamente em choque, não falava, não ouvia apenas acreditava que tudo aquilo poderia ter sido um sonho, mas tinha um pequeno detalhe que não deixava mais confusa,” O CAPOTE” Ela parou e desmaiou, o pai do jovem a segurou e levou para dentro da casa onde o jovem tinha passado bons momentos de sua vida. Quando ela acordou, ela perguntou novamente o que estava acontecendo, e pediu para subir até o quarto, pois tinha visto ele na janela antes de falar com o pai do rapaz, e teve a permissão, e quando abriu a a porta quarto, estava tudo normal, fotos dele, mas em especial uma foto, uma foto com o capote, fotos os amigos que também tinham falecidos juntos no então acidente.
Alguns dizem que ela nunca mais voltou a ser a mesma, outros diz que ela cometeu suicídio, outros diz que ela espera aquela mesma data para puder revê-lo, enfim você quando for dançar tome cuidado, pois a dança talvez você nunca mais volte ser a mesma!


Historia de não minha autoria
( ESCRITA POR : Gilberto - MAGÃO )

https://www.facebook.com/magao.produtor